icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
15/02/2015
17:20

Se hoje Anthony Johnson vive a melhor fase de sua carreira depois de nocautear Alexander Gustafsson, na Suécia, e ter a confirmação de que será o próximo desafiante ao cinturão do atual campeão meio-pesado Jon Jones, o americano não esquece os dias difíceis que enfrentou no passado. Conhecido antigamente pela dificuldade que tinha para bater o peso de sua categoria, quando era um meio-médio (até 77 kg), hoje Johnson comemora a mudança para a divisão dos meio-pesados (até 93kg), onde se sente melhor.

Ao ser perguntado sobre as últimas dificuldades de lutadores como John Lineker e Kelvin Gastelum, que não bateram os respectivos pesos de suas categorias antes do UFC 183, Anthony deu um conselho a ambos.

- Ouça seu corpo. Gastelum é um wrestler, eles tem essa mentalidade de perder o máximo de peso que puderem. Isso não é mais colegial. Você não pode perder peso assim. Não há nada comparado ao MMA. É um ritmo diferente, seu corpo não pode reagir a isso. Quando você tem de perder muito peso você se sente um lixo. Você odeia todo mundo quando perde aquilo tudo de peso. Quando lutava no meio-medio, era muito difícil. Fiquei cansado de desapontar vocês jornalistas (na hora de bater o peso - explicou o lutador, nos bastidores do UFC 183.

O momento que representou uma virada na carreira de Anthony Johnson foi quando o atleta foi demitido do Ultimate após falhar com a balança, em 2012. Mas ele não se chateia. Segundo o próprio, a ação foi "uma benção" em sua carreira. 

- Foi uma benção (ter sido demitido do UFC). É apenas como posso botar isso. Me sinto incrivel como um lutador meio-pesado. Agora a vida é bonita. Posso comer o que quiser (risos) - concluiu.