icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
09/11/2014
21:31

O Mineirão viu um jogaço, neste domingo. Uma partida nervosa, tensa, catimbada, emocionante e com muitas chances de gol para cada lado. Decidida no último minuto. Nem parecia que o líder Cruzeiro enfrentava o lanterna, pois o Criciúma vendeu caríssimo a derrota por 3 a 1.  Saiu na frente com um gol de Luan, e segurou o quanto pôde. Levou a virada com gols de Marcelo Moreno e Ricardo Goulart. E pressionou até o fim, teve um pênalti claro não marcado a seu favor e foi levar o terceiro aos 44 da etapa final.  Espetacular.  Com a vitória, o Cruzeiro foi para 67 pontos e ficou mais perto do título. O Criciúma tem 30, e a Série B parece uma realidade.

O JOGO

A partida ainda estava em câmera lenta quando, aos dois minutos, o zagueiro cruzeirense Bruno Rodrigo deu uma furada espetacular num lance pela direita. O ex-cruzeirense Lucca, esperto no lance, ganhou do defensor na corrida e, próximo da área, na saída do goleiro Fábio, encobriu o camisa 1 e marcou o primeiro gol do Criciúma, o seu terceiro na Série A-2014.

O Cruzeiro não sentiu o golpe e se impôs, criando duas chances incríveis com Ricardo Goulart e Julio Baptista antes dos 12 minutos e chegando a cravar 75% da posse de bola nos primeiros 20 minutos. O Criciúma estava muito fechado, com uma linha de quatro, um volante praticamente de zagueiro e apostando em contra-ataques com ligação direta, quase sempre pelas pontas, tentando jogar nas costas dos laterais e buscando Lucca.

A pressão era total, a chuva chegou, mas nada do Cruzeiro empatar. Cruzamentos em sequência, chutes em cobranças de falta (o Criciúma exagerava nas doses, tanto que levou três amarelos em 30 minutos). Ou de fora da área, quase sempre saindo dos pés de Nilton e Egídio. Mas nada da bola entrar durante a primeira etapa. Sempre faltava o último toque, como no único lance brilhante de Julio Baptista, aos 41, quando ele cortou a marcação mas não conseguiu achar um companheiro para o arremate diante do congestionado miolo de área do Tigre catarinense. Aos 48 minutos, mais uma chance de outo. Willian sofreu falta. Egídio cobrou no chuveirinho e Julio Baptista cabeceou para bela defesa de Bruno. O Criciúma foi para o intervalo com a vantagem. E o Mineirão calado, incrédulo com a derrota do líder para o lanterna.

- Vamos ver se no segundo tempo vamos ver se aproveitamos algumas das muitas oportunidades - disse o lateral-direito cruzeirense Mayke.

- Se tivermos atenção, podemos sair daqui com um resultado legal - disse Lucca, animado com a pegada que o Criciúma teve nos primeiros 45 minutos.

VIRADA E ALÍVIO

Na volta do vestiário, os times voltaram sem alteração.  E quem ganharia a queda de braço? O Cruzeiro martelando sem parar ou o Criciúma, defendendo com 10, às vezes os 11? O Tigre veio para passar o tempo. Antes do primeiro minuto, Joilson caiu numa dividida e ficou um minuto e meio estatelado no chão, aguardando o carrinho. Saiu e voltou rapidinho. Aos três, Fábio Ferreira foi tocado pelo próprio companheiro (Martinez) e ficou mais um minuto esperando o carrinho.

Quando Egídio saiu aos oito minutos por lesão (numa dividida com Serginho ele caiu de mal jeito e saiu sentindo as costas), Marcelo Oliveira aproveitou para adiantar o time, colocando o volante Henrique na lateral esquerda, deixando Nilton como único volante e tirando do banco o atacante Marcelo Moreno, goleador da Raposa no Brasileiro. Era pressão total.

Deu certo. Na primeira bola que recebeu, Moreno sofreu falta de Fábio Ferreira, próxima da área.  Quatro cruzeirenses ficaram conversando. Julio Baptista ficou próximo da bola, mas quem cobrou foi Nilton. Forte e rasteiro. O goleiro Bruno defendeu parcialmente e a bola sobrou para Marcelo Moreno mandar  para a rede e empatar o jogo aos 12 minutos. Aos 17, Moreno deu uma cabeçada sensacional que o goleiro Bruno fez a defesa mais difícil do jogo.

Preocupado com Henrique improvisado na lateral, Marcelo Oliveira colocou um especialista, Samúdio. Nem deu para reparar nenhuma diferença e No minuto seguinte, aos 18, veio o gol da virada. Numa bola aérea, Bruno Rodrigo brigou pela bola duas vezes. Na segunda encontrou Ricardo Goulart, que deu belíssimo voleio. Cruzeiro 2 a 1. E Marcelo Oliveira mais uma vez rearrumou o time com só um na frente, no 4-5-1, sacando Julio Baptista e recolocando um volante, Willian Farias.

Aí quem começou a querer tomar cuidado e fazer cera foi o Cruzeiro. Willian Farias ficou um minuto "sentindo" uma entrada do jogador do Criciúma. E o time catarinense resolveu ir para o tudo ou nada ao ataque, criando duas chances perigosas e que não resultaram no empate porque seus jogadores deram um toque a mais.

Ainda assim o Cruzeiro tinha chance. Uma nova cabeçada de Marcelo Moreno, numa falha de marcação  após o cruzamento pela direita, obrigou  Bruno a fazer mais um milagre.

O jogo estava em aberto. Aos 33 minutos, numa cobrança de falta de João Vitor, Fábio fez um defesaço. Pouco depois, Bruno Rodrigo, num lance em que pareceu um empurrão, perdeu a bola, Bruno Lopes chutou, Fábio deu rebote e Maurinho, que acabara de entrar, perdeu o gol mais feito da partida.

Aos 40, outro lance muito polêmico. Lucca recebeu pela esquerda e cruzou. A bola bateu na mão de Mayke, num lance claro que o jogador cruzeirense interceptou a bola. Mas o juiz não marcou o pênalti.

Era drama até o fim. Mas aos 44 minutos Ricardo Goulart rompeu pela esquerda, foi ao fundo e tocou para trás, Willian bateu rateiro e fez 3 a 1. O Cruzeiro mereceu a vitória e segue na frente. O Criciúma, por sua vez,  fez uma partida de guerreiro. Poderia ter mellhor sorte. Mas segue na lanterninha.

PRÓXIMOS JOGOS

O Cruzeiro volta a entrar em campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo, quando visitará o Santos, na Vila Belmiro, a partir das 17h. Antes, a Raposa enfrentará o rival Atlético, na próxima quarta, pelo jogo de ida da final da Copa do Brasil. O duelo será na Arena Independência, às 22h. Já o Criciúma atuará novamente pelo Brasileirão no próximo sábado, quando receberá o Grêmio, no Heriberto Hülse, a partir das 19h30.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 3 X 1 CRICIÚMA

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data-hora: 9/11/2014 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Marcos André Gomes da Penha (ES)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Vanderson Antonio Zanotti (ES)
Renda/Público:  R$ 1.187.572,00/ 28.475 pagantes
Cartões amarelos: Giovanni, Cortez, Rafael Pereira, Serginho e Maurinho (CRI) Leo, Mayke, Bruno Rodrigo, Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart (CRU)
Cartões vermelhos: Não houve.

Gols: Lucca 2'/1ºT (0-1); Marcelo Moreno 12'/2ºT (1-1), Ricardo Goulart 18'/2°T (2-1) e Willian 44'/2ºT (3-1)

CRUZEIRO:  Fábio, Mayke, Léo, Bruno Rodrigo e Egídio (Marcelo Moreno 8'/2ºT); Henrique (Samúdio 17'/2ºT), Nilton, Everton Ribeiro, Ricardo Goulart e  Willian; Julio Baptista (Willian Farias 20'/2ºT) – Técnico: Marcelo Oliveira.

CRICIÚMA: Bruno, Luís Felipe, Joílson, Fabio Ferreira e Giovanni; Rafael Pereira (Briuno Lopes 22'/2ºT), Martinez, Serginho (Maurinho 31'/2ºT), Cleber Santana e Cortez (Vitor 18'/2º); Lucca – Técnico: Toninho Cecílio.