icons.title signature.placeholder RADAR / LANCEPRESS!
19/11/2014
21:29

Poucas horas antes do Santos entrar em campo contra o Atlético-PR, jogadores do clube promoveram uma ação beneficente no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba (PR). Além de conhecerem a estrutura do local, o goleiro Aranha, o zagueiro Edu Dracena e Zinho, gerente de futebol, conheceram o dia a dia de cada criança que está internada.

- Para nós, essa visita é importante principalmente para divulgar um trabalho tão bem feito como o que é realizado aqui. Muita gente reclama que o país não tem nada, que não se faz nada no Brasil, mas porque não conhecem o que é feito. Nós temos que ser solidários. Com essa atitude, podemos melhorar muito o país - afirmou Aranha.

Zinho, dirigente do Peixe, destacou o impacto que estas atitudes podem trazer a crianças que convivem com problemas de saúde:

- Isso é o mínimo que podemos fazer, trazer um pouco de alegria para esses pacientes. Quando visitamos um lugar como esse, saímos diferentes. É um presente, uma lição de vida para a gente também. Quando vemos de perto o sofrimento, o que esses meninos e essas meninas estão passando junto com as suas famílias, vemos que nós não temos problema nenhum em nossas vidas.

A visita também foi marcada pela descontração. Um dos pacientes fez a função de repórter e apresentador e entrevistou Edu Dracena e Zinho.

O diretor-corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro da Silva Carneiro, comentou a relação da instituição (que não tem fins lucrativos) com o esporte:

- O diretor-corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, José Álvaro da Silva Carneiro, contou aos atletas sobre a relação entre a instituição e o esporte. “Essa associação veio para conquistarmos apoio para o nosso Instituto de Pesquisa e também para as atividades do Hospital. Os projetos que desenvolvemos com o envolvimento da família futebol, por exemplo, nos ajudam a captar recursos para o Pequeno Príncipe, que é uma organização sem fins lucrativos.

Dracena, Zinho e Aranha ganharam medalhas simbólicas do programa Gols Pela Vida. O trio deixou camisas do Santos autografadas pelo goleiro e pelo zagueiro.