icons.title signature.placeholder Igor Ramos
23/06/2014
17:01

Pisar no gramado do Maracanã será um privilégio para os jogadores da França.  E eles querem se transformar em frequentadores assíduos do palco de jogo desta quarta diante do Equador, e que poderá recebê-los mais duas vezes, caso cheguem à final.

Confirmado o primeiro lugar no grupo, os Bleus jogarão em Brasília e se alcançarem a vaga nas quartas, eles retornam ao Rio de Janeiro. Se chegarem a decisão do título, jogarão pela terceira vez no Maracanã.

Para o meia Valbuena, a oportunidade de debutar no mais tradicional estádio do Brasil já é um privilégio.

- É um estádio mítico, foi renovado e é fabuloso poder jogar lá. É maravilhoso - disse o jogador.

Mesma sorte espera ter o jovem zagueiro Varane, de 21 anos, que terá a primeira chance de pisar no palco da final e sonha retornar no dia 13 de julho.  Mas antes ele aguarda a confirmação da sua escalação, pois no domingo precisou ficar em observação por algumas horas em um hospital de Ribeirão Preto depois de constatada uma gastroenterite.  Nesta segunda, ele foi liberado e deve viajar com a delegação. Na sexta-feira ele falou sobre a expectativa de jogar no Rio de Janeiro, e conhecer as 'particularidades' do estádio.

- O Maracanã é um estádio mítico. Claro que isso comove todos nós, jogadores franceses. Nós conhecemos os grandes estádios na Europa, mas o Maracanã tem sua particularidade e vamos descobrir como é esse ambiente quando estivermos lá. Esperamos voltar em outras ocasiões durante a Copa do Mundo - disse Varane.

Quem espera também a confirmação entre os titulares é o volante Sissoko. Ele é candidato ao lugar de Cabaye, que está suspenso, e revela que sonha pisar no mesmo palco onde grandes jogadores do mundo já atuaram.

- Para mim e para os outros jogadores da França é um momento especial por se tratar de um estádio mítico. Os maiores jogadores da história estiveram por lá e nós vamos ter essa sorte - afirmou o atleta do  Newcastle United.

O primeiro contato dos Bleus com o Maracanã será na tarde desta terça-feira, quando realizam o treino de reconhecimento. O time viaja pela manhã com dúvidas na escalação. Nesta segunda-feira à tarde, Didier Deschamps comanda um treino fechado para a imprensa. Ele não poderá contar com Cabaye, suspenso, e poderá poupar Sahko, que teve problemas musculares nos últimos dias, e Varane, que ainda se recupera do problema estomacal.

A França encara o Equador em busca da primeira colocação no grupo. Um empate garante aos Bleus a primeira posição do grupo E e vai esperar pela definição do seu adversário, que sairá do grupo F, onde Argentina e Nigéria disputam a primeira posição.