icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
07/07/2014
19:32

Depois de Schweinsteiger lamentar a ausência de Neymar no duelo desta terça-feira entre Brasil e Alemanha, às 17h, no Mineirão, pela semifinal da Copa do Mundo, foi a vez do treinador alemão Joachim Löw se manifestar sobre o craque, que fraturou uma vértebra e está fora do Mundial. Löw abriu sua coletiva dando um pronunciamento sobre o camisa 10 do Brasil. 

- Primeiramente, queria falar sobre Neymar. Sentimos por ele e por nós também que ele está lesionado. É uma situação terrível, teríamos adorado vê-lo em campo contra nós nesta Copa. Gostaria de desejá-lo o melhor, uma recuperação rápida e espero que ele volte muito em breve a jogar - afirmou o treinador germânico, em entrevista coletiva no palco da partida.

Sempre que comentaram a situação de Neymar, os alemães não quiseram dizer que seria uma vantagem sua ausência no duelo. Löw foi questionado se a Alemanha havia passado a ser favorita por conta do problema brasileiro. Ele negou.

- Não, com certeza não (somos favoritos). Não devemos acreditar que a ausência do Neymar ou do Thiago Silva seja uma vantagem. Acho que o Dante irá jogar, e não esperamos que ele fará um jogo ruim. Ele é um excelente jogador. Outros jogadores se sentirão mais livre pra jogar, mais responsáveis, isso acontece em todas as seleções que perdem os principais jogadores. Os outros estarão lutando por Neymar e pelo país para que o Brasil seja o favorito nessa semifinal - analisou.

A expectativa é de que o público desta terça-feira no Mineirão seja de 65 mil pessoas. O vencedor do duelo enfrentará quem ganhará do confronto entre Argentina e Holanda, que disputam a outra semifinal na quarta, na Arena Corinthians.

- As duas semifinais são batalhas dos dois continentes, dois europeus contra dois sul-americanos. Aqui teremos o Brasil jogando com 200 milhões de torcedores no país. Não só os jogadores e torcedores em campo, mas um país inteiro. Isso trará uma energia única para eles - disse o alemão.