icons.title signature.placeholder Eduardo Moura
12/12/2013
08:07

Como na maioria dos clubes do Brasil, o momento financeiro não é bom. Ainda mais sem o Beira-Rio, que diminui as receitas. Ou seja, as vendas de Gilberto e Leandro Damião trouxeram um alívio nas contas do Internacional providencial. O clube, assim, consegue tapar o déficit projetado em cerca de R$ 42 milhões para o final do ano. A tática de venda de jogadores para acertar os ponteiros financeiros é uma premissa da direção que comanda o clube desde 2002.

Damião rendeu aos cofres colorados cerca de R$ 30 milhões - o restante do montante fica com o Atlético Ibirama, que detinha 30% dos direitos econômicos do centroavante. O clube catarinense estava ciente das negociações, mas ainda não havia sido avisado sobre o desfecho da venda na tarde desta quarta-feira.

Já Gilberto rendeu aos cofres colorados mais de R$ 7 milhões. Assim, o Colorado arrecada com receitas extraordinárias quase R$ 40 milhões. No ano, o clube também vendeu o meia Fred ao Shakhtar Donestk e o zagueiro Rodrigo Moledo ao Metalist. Mas, com a ausência do Beira-Rio e a folha salarial alta, o Colorado enfrentou uma temporada de gastos elevados.

- As negocaições dão um alívio considerável, sim - disse rapidamente o diretor-executivo Newton Drummond.

A reunião de Conselho Deliberativo que discutiria as contas coloradas no exercício de 2013 foi suspensa. Está marcada apenas para a próxima semana, dia 18 de dezembro. Será quando os conselheiros ficarão sabendo sobre o tamanho do rombo financeiro. Provavelmente apresentado com a solução ao lado.

Com a saída da dupla de atacantes, o Inter conta atualmente com Scocco, Rafael Moura, Diego Forlán, Caio e Jorge Henrique como opções para o setor ofensivo. Curiosamente, os três primeiros ainda podem deixar o clube gaúcho.

Repórter analisa compra milionária de Leandro Damião