icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese e Marcelo Braga
31/12/2013
06:01

O Internacional convocou uma reunião com representantes da Doyen Sports no Brasil, na última segunda-feira, para tratar do pagamento pela venda de Leandro Damião. O LANCE!Net apurou que o Colorado esperava que parte dos R$ 42 milhões já tivessem sido depositados. Procurado pela reportagem, porém, Renato Duprat disse ter sido uma reunião de praxe.

– Burocracia normal de uma transação: documentação, contrato, Banco Central. Já estava agendado para o dia 6 o pagamento, de acordo com o contrato – afirmou o representante do fundo maltês, que não revelou se o dinheiro será depositado à vista ou em parcelas.

O anúncio da contratação aconteceu no dia 16 de dezembro. A participação do Doyen foi fundamental para que Damião assinasse com o Santos por cinco temporadas. O fundo já havia feito alguns outros negócios com o clube alvinegro. Primeiro, em 2011, participou da venda de Felipe Anderson para a Lazio, da Italia, comprando 50% dos direitos econômicos do meia. Na sequência, iria ajudar na aquisição do lateral-direito Cicinho, que estava na Ponte Preta. No entanto, a diretoria santista não aceitou as exigências feitas pela empresa e arcou com a transação.

Renato Duprat já foi parceiro, inimigo e agora voltou a ter bom trânsito na Vila Belmiro. Ele herdou o Unicór, grupo do ramo de saúde que patrocinou o Santos de 1995 a 1999 e teve liquidação decretada em 2001. À frente dos negócios na época, o empresário foi acusado pela CPI do Futebol de deixar uma dívida de R$ 1,2 milhão no Peixe quando saiu - ele nega.