icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
05/04/2014
09:03

Bruno Peres é um jogador de decisão. Pelo menos foi assim durante toda sua carreira como profissional e será mais uma vez neste domingo, na primeira final do Paulistão, contra o Ituano. Reserva durante toda a campanha do Santos até aqui, ele substituirá Cicinho, que cumprirá suspensão pelo terceiro cartão amarelo. No entanto, deixar o banco para ser titular no momento mais importante do campeonato não é novidade para ele.

Ainda pelo Audax, em 2010, o atleta era a terceira opção da lateral direita. Treinando bem, tornou-se reserva e, justamente na fase final da Série A2, viu o titular da posição se machucar e abrir espaço para ele jogar. Destacou-se e foi contratado pelo Guarani, onde viveu a mesma situação no ano seguinte. Oziel, que era o camisa 2 bugrino, lesionou-se justamente antes da final do Paulistão, e Bruno Peres disputou as partidas contra o Peixe. O bom desempenho contra o Peixe chamou a atenção do então técnico alvinegro, Muricy Ramalho, que pediu a contratação dele.

– Sou realmente um cara iluminado por Deus por sempre jogar nas finais. Até comentei isso com minha esposa e meus pais, sempre aparece uma brecha nas decisões que me permitem entrar. Fico feliz de poder ajudar e estou preparado para mais este desafio – afirmou.

Agora, apesar de reserva, Bruno Peres entra com moral com o técnico Oswaldo de Oliveira, que vem fazendo diversos elogios a ele e a Emerson Palmieri, lateral-esquerdo que será titular no lugar de Mena, também suspenso por cartões.

Segundo Bruno, Oswaldo pediu para que ele tenha a mesma postura de Cicinho. Ou seja: parta para cima e apóie bastante o ataque.

– Temos que manter o padrão ofensivo. O professor dá muita liberdade para atacar, mas tem que ser com responsabilidade, é claro.

Filho de pai santista, o camisa 4 terá apoio maciço da família, que estará em peso amanhã, no Pacaembu. É hora de Bruno mais uma vez mostrar que tem estrela!


Ala minimiza peso de dívida

Bruno Peres disse que se preocupa com o atraso no pagamento de direitos de imagem do Santos, mas minimizou a influência disso no duelo de amanhã e afirmou que o grupo segue focado na final. O LANCE! revelou ontem o débito, confirmado pelo Peixe. A única divergência é quanto ao tempo da dívida. A diretoria alvinegra diz que é de algumas semanas, enquanto fontes ouvidas pela reportagem falam em dois meses.

– Preocupa até, mas é um assunto que compete à diretoria. Nosso foco é treinar e jogar.


Bate-Bola com Bruno Peres, lateral-direito do Santos, em entrevista ao LANCE!Net, por telefone

O que espera dessa decisão?
É uma oportunidade de ouro para mim, mais uma chance de atuar em um jogo importante, e a gente está com pensamento positivo para ajudar o Santos a conquistar a vitória e da um passo rumo ao título.

O fato de não estar jogando com frequência pode atrapalhá-lo?
Não vou sentir a falta de ritmo porque nossos treinos são muito intensos, puxados, e o ritmo de jogo a gente adquire também nos treinos. Estou preparado para a final.

Você se acha iluminado por ter chances nos momentos decisivos?
Não só iluminado. Acima de tudo, Deus prepara as coisas para a gente. Fico feliz porque as oportunidades aparecem nos momentos que às vezes acho que não vão acontecer. Mas o mais importante é que a equipe vença e a gente saia com título.

No passado, cogitou-se a sua ida para o meio. Ainda pensa nisso?
Pensar eu sempre penso, é uma função que já fiz, gosto de fazer. Vai muito do que o professor pede. Ele fala muito bem de mim na lateral, então hoje para trocar é muito difícil, pois requer confiança do treinador, ele teria que já ter me visto no meio... Mas não é impossível.

Em 2011, pelo Guarani, você enfrentou o Santos duas vezes no Morumbi. Jogar fora de casa pesa muito? Isso prejudicará o Ituano?
O Guarani não tinha perdido no Brinco de Ouro naquele ano e ficamos tristes de sair de casa. Isso favorece o time grande, pois a torcida ajuda, mas não pode ser desculpa.