icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/04/2014
10:46

O torcedor do Internacional vive dias que serão eternizados na história do clube. Colorados de todas as gerações respiram o novo Beira-Rio, um dos 12 palcos que receberá a Copa do Mundo deste ano. Na noite deste sábado, o espetáculo "Os protagonistas" marcou a reinauguração do estádio. Ídolos de todas as décadas do estádio, inaugurado em 1969, estiveram presentes e abrilhantaram uma festa memorável para os cerca de 45 mil fanáticos presentes no Gigante. Sobrou emoção e saudosismo. É início de uma nova era para o Internacional e seus torcedores.

A movimentação dos colorados nas proximidades do Beira-Rio começou ainda na manhã de sábado. A expectativa pelo retorno do Beira-Rio - que já havia recebido dois eventos-teste limitados a dez mil torcedores - era grande. E não poderia ser diferente. Foram quase 500 dias de obras. 500 dias em que os resultados do Internacional deixaram a desejar sem poder atuar na sua casa. A aposta é que, com o retorno do Beira-Rio, tudo possa ser diferente.

A festa começou às 19h, com uma contagem regressiva nos telões do Beira-Rio iniciou a noite de celebrações e de muita emoção. Pouco depois, entraram em cena o Saci e o Escurinho, mascote e personagem criado em homenagem ao ex-atacante, já falecido, que defendeu o clube na década de 70 e é um dos maiores nomes da história colorada. Na sequência, teve início o show da banda Blitz, de Evandro Mesquita. Torcedor fanático do Fluminense, ele fez questão de exaltar o Beira-Rio, colocou uma camisa do Inter e levou os presentes ao delírio.

Reinauguração do Beira-Rio chamou a atenção pela beleza (Foto: Divulgação/Internacional)

Passados os cerca de 30 minutos do show, foi a vez de o espetáculo "Os protagonistas" tomar conta do Beira-Rio. Era o momento de os ídolos que ajudaram a enriquecer a história colorada serem devidamente homenageados. Vieram luzes, fogos, imagens, vídeos e representações artísticas. Tudo isso para retratar a história do Beira-Rio. Uma história de 45 anos.

COMEÇA O ESPETÁCULO

Ídolos das várias gerações introduziram o espetáculo que estava por vir. D'Alessandro, camisa 10 da equipe atual, fez questão de lembrar o rival Grêmio e levar os colorados ao delírio:

- Tenham certeza de que o Beira-Rio é nosso. É a casa de vocês - disse o argentino, fazendo referência ao Grêmio e a construtora OAS, a responsável pela Arena.

Falcão, craque do time tricampeão brasileiro, foi ovacionado (Foto: Divulgação/Internacional)

Uma representação teatral retratou o surgimento do estádio e um coral, formado por 200 vozes, se destacou. Era o primeiro ato do espetáculo. O segundo marcou a primeira década completa do Beira-Rio, a de 1970. Ídolos como Manga, Figueroa, Valdomiro e Falcão marcaram presenças. O destaque ficou por conta de Falcão, craque máximo do time tricampeão brasileiro. Fardado com a histórica camisa de número 5, ele foi ovacionado por 45 mil vozes. A década de 80 teve como principais fatos lembrados, a vitória do Inter diante do Barcelona de Maradona no Troféu Joan Gamper de 1982 e o triunfo no Gre-Nal do Século, em 1989.

Veio a lembrança da década de 90, marcada pela conquista da Copa do Brasil de 1992. O período foi o mais breve do espetáculo, mas teve espaço para destacar a goleada de 5 a 2 sobre o Grêmio em 1997. Goleada cujo destaque foi o atacante Fabiano. Um vídeo com os dizeres do homenageado foi completado pelos gritos de "Uh, Fabiano! Uh, Fabiano! Uh, Fabiano!". O quase rebaixamento do time no Brasileirão de 1999 também foi destacado. Foi nesse momento, para muitos, que o Inter ressurgiu, assim como uma encenação lembrou.

Foi, então, que veio o momento mais aguardado pelos presentes: a década de 2000, a das maiores conquistas. Abel Braga e os campeões da Libertadores de 2006 entraram em cena e as outras conquistas que transformaram o Inter no "Campeão de Tudo" foram retratadas com o som da banda Cachorro Grande. Na sequência, a lembrança mais memorável da história colorada: o Mundial de Clubes de 2006. Vídeos com depoimentos de Clemer, Ceará, Índio, Fernandão, Adriano Gabiru e Iarley lembraram o feito. Gabiru, autor do gol histórico, foi jogado para o alto por seus companheiros e, como não poderia ser diferente, ouviu seu nome ser gritado por todo o estádio.

ÚLTIMOS MOMENTOS DE UMA NOITE INESQUECÍVEL

Após Falcão assumir o comando da festa lembrando o título do Mundial, foi a vez de o Beira-Rio ser, oficialmente, reinaugurado. O presidente Giovanni Luigi abriu uma garrafa de champanhe para celebrar o momento. Logo depois, a atriz Araci Esteves lêu as cartas que serão enterradas em uma "cápsula do tempo" no pátio do estádio. Dois guindastes, que estavam do fora do Beira-Rio, erguerem dois telões, em que foram projetadas mensagens de ídolos de várias épocas. Fogos de artifícios tomaram conta do céu do Beira-Rio, cânticos da torcida foram entoados e um show do DJ britânico Fatboy Slim encerrou a noite memorável para os colorados.