icons.title signature.placeholder Daniel Bortoletto e Rodrigo Cerqueira
02/07/2014
15:35

Ex-atacante da seleção holandesa, Pierre van Hooijdonk estava, na manhã desta quarta-feira, nas arquibancadas da Gávea acompanhando o último treino da Laranja no Rio antes da viagem para Salvador, local do confronto com a Costa Rica, no sábado, pelas quartas de final. Para ele, o compatriota Robben é, até o momento, o cara da Copa do Mundo.

- Até agora, ele está à frente de Messi e Neymar. Mas se você não passar pela Costa Rica jamais vai ser o melhor do torneio, não é? Por isso prefiro esperar até o fim para ver quem vai terminar melhor - comentou ele, que participou da Copa do Mundo de 1998 e tem no currículo 46 jogos e 14 pela Holanda.

Hooijdonk ainda faz um paralelo entre a última Copa com as duas últimas edições da Liga dos Campeões, que tiveram Robben como protagonista.

- Se você olhar a Champions, ele foi vilão contra o Chelsea, duas temporadas atrás, e na última marcou o gol do título do Bayern. Em 2010, ele teve a chance contra a Espanha e não fez. Agora ele tem a chance de mudar aquele cenário, como já fez na Champions.



As atuações de Robben, sempre muito bem assistido por Van Persie e Sneijder, principalmente, fazem com que o ex-atacante acredite que a Holanda vá longe nesta Copa.

- Somos capazes de vencer qualquer um. Nossos melhores jogadores estão decidindo os jogos. A defesa contra o México já foi melhor do que na primeira fase. Para ser campeão, é preciso ter sorte, como o Brasil teve contra o Chile. E o jogador sente o momento. Sem jogar bem, vai avançando. E acho que esse time holandês tem isso, como o Brasil - analisou.