icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
15/04/2014
16:17

Quando o caso Lusa parece enterrado, mais uma briga judicial volta a tumultuar a Série A do Brasileirão, a menos de uma semana do início da competição. A bola da vez é a liminar conseguida pelo Icasa para ser colocado na Primeira Divisão.

O clube cearense teve uma vitória na Justiça Comum, nesta terça-feira, em um processo aberto na 4ª Vara Cível, da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A decisão judicial prevê a inclusão do Verdão do Cariri em até 24 horas, estipulando uma multa de R$ 100 mil à CBF em caso de descumprimento.

O Icasa reclama que o STJD não denunciou o Figueirense por entender que o time catarinense escalou de forma irregular o volante Luan. No começo de fevereiro, o time cearense levou o caso à Justiça Desportiva, mas não teve o pleito aceito. A argumentação da procuradoria-geral da corte foi que o "crime" estava prescrito, já que o jogo colocado em xeque aconteceu em maio de 2013.

- Tínhamos a intenção de resolver tudo no STJD, mas nos foi negado esse direito. Por isso entramos na Justiça. Queremos que o direito do Icasa seja respeitado - explicou o diretor de futebol, André Turatto, ao LANCE!Net.

Ao site da ESPN, o advogado do Icasa diz até que o clube terá direito de participar da Assembleia Geral Eleitoral, que ocorre nesta quarta-feira. A decisão só fala a respeito da inclusão do Icasa e não trata da exclusão de outro clube.

- Vamos ser orientados melhor sobre isso para ver se o presidente irá mesmo ou não ao Rio - completou Turatto.