icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
11/06/2014
07:10

Ele não é o craque do time, nem veste a camisa 10, como Neymar. Também não é o “homem-gol” de Felipão, caso de Fred. Mas a força física, os chutes potentes e a aplicação tática fazem de Hulk uma das peças mais importantes no esquema de Luiz Felipe Scolari para a Copa do Mundo, que começa nesta quinta, às 17h, na Arena Corinthians.

A um dia do início do Mundial, o status de Hulk na Seleção Brasileira mudou em relação há um ano, quando o atacante convivia com críticas e pedidos da torcida por Lucas (fora da Copa) a cada jogo, na campanha do título da Copa das Confederações.

Hulk foi destaque do time titular em quase todos os treinos coletivos da preparação. Fez um gol na goleada por 4 a 0 sobre o Panamá e outro, mal anulado, na vitória por 1 a 0 sobre Sérvia. Na concentração, em conversa com amigos, tem dito que está fazendo de tudo para “voar na Copa do Mundo”. Este é o maior desafio da carreira do paraibano de 27 anos, que passou a ver, agora, reações positivas dos torcedores. Nos dois amistosos, bonecos e fantasias do personagem Hulk foram vistos na arquibancadas. O atleta está ligado.

– Acho que aprenderam a conhecer o Hulk como jogador. Poucos me conheciam porque eu saí muito cedo do Brasil – afirmou o atacante.

Hulk, que jogou só 65 minutos pelo Vitória em 2004 antes de partir para fazer carreira no exterior, tem só 13 jogos em território nacional. Nas 11 vezes em que defendeu a Seleção Brasileira no país, venceu dez e empatou uma: marcou três gols.

O atacante já encara até o assédio feminino. Na última segunda, dia em que os atletas, em peso, atenderam fãs na grade do campo 2 da Granja Comary, Hulk ouviu cantadas atrás de cantadas. Algumas queriam apertar seu bumbum. Tímido, apenas sorria e assinava as camisas. Ele costuma ser um dos mais atenciosos com os torcedores.

Hulk, com 110cm de quadril, pesa 90 quilos: é considerado pelos preparadores o mais forte do time.

Garoto-propaganda

O camisa 7 também pegou carona na onda de atletas da Seleção Brasileira, como Neymar e David Luiz, e estará na televisão e em outros veículos durante a Copa do Mundo. A EMS, laboratório farmacêutico, investiu R$ 30 milhões em campanha que conta com o atacante como “astro” para promover vitamina C vendida pela empresa.

No ano passado

Hulk foi titular na campanha do título de 2013, mas sofria com “cornetas” da torcida. Ele foi sacado em todos os cinco jogos: saiu aos 29 do segundo tempo para Hernanes entrar contra o Japão, deu lugar a Lucas aos 32 da etapa final diante do México e saiu aos 30 diante da Itália (Fernando entrou).

Na semi, diante do Uruguai, Bernard entrou aos 18 minutos da etapa final e na decisão, contra a Espanha, Jadson
o substituiu aos 27.

BATE-BOLA Hulk Atacante da Seleção

‘Farei de tudo para agradecer aos torcedores’

O que você fez para mudar a opinião dos torcedores, que antes o queriam fora do time titular?
Tive a oportunidade por meio da Seleção Brasileira de mostrar meu trabalho para o torcedor do Brasil. E eles estão reconhecendo isso hoje. Na Copa das Confederações já foi bom e depois manteve. E para chegar na Copa será bom para estar 100% e muito motivado. Sabemos que quando você faz um bom trabalho e bem feito a torcida vê isso e começa a retribuir. Afinal, está acontecendo isso, o reconhecimento fora de campo. Vou fazer o máximo para agradar eles. A torcida apoiando do começo ao fim é muito importante. E assim vamos correr muito, dar nosso máximo em campo porque eles merecem.

Felipão sempre o bancou no time por causa da função tática que você exerce, ajudando tanto no ataque quando na marcação.
Felipão está sempre me elogiando, falando sobre o que procuramos fazer e queremos atendê-lo. Não só eu, mas todos que entram tentam fazer o que o ele pede. Fizemos dois amistosos produtivos na preparação. Procuramos arrumar algumas coisas que estavam faltando no nosso time. Agora é procurar acertar alguns erros bestas que ocorreram. Uma conversa e concentração a mais podem evitar falhas durante a Copa do Mundo.

Por que você optou por vestir a camisa 7 na Copa do Mundo?
Mudei a camisa porque já tinha mudado antes no Zenit (RUS), no qual jogo com a 7. Para manter isso, então, pedi a 7 na Seleção Brasileira para continuar com a sorte.