icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/02/2015
00:44

Guerrero não considerou justa sua expulsão, aos 26 minutos de jogo contra o Once Caldas (COL). O atacante peruano disse que estava apenas se protegendo ao acertar com o braço Camilo Pérez - na jogada, o adversário também acertou o camisa 9, mas recebeu apenas o amarelo. Para o corintiano, os adversários entram em campo dispostos a tirá-lo do sério, e os árbitros não fazem nada.

- Os times vêm me provocar, vêm me bater, eu só fico apanhando, apanhando, e os juízes não fazem nada. Eu também tenho que me proteger, não posso ficar apanhando todas as vezes. E por me proteger deixei a mão para trás e o cara simulou uma falta - reclamou.

O vermelho nesta quarta rendeu até uma conversa após a partida entre Guerrero e o árbitro do confronto, Patricio Loustau. Os dois já tiveram problemas antes: nas Eliminatórias para a Copa de 2014, o atacante jogava pelo Peru contra o Uruguai e sofreu uma cotovelada no rosto, que o fez sair do gramado sangrando. Loustau nada marcou.

Mesmo sem o principal jogador do elenco alvinegro, o Timão deslanchou no segundo tempo e encaminhou sua vaga na fase de grupos da Libertadores ao golear por 4 a 0. Os jogadores no intervalo avisaram que iriam correr por Guerrero, que soube apenas agradecê-los pelo empenho apresentado na Arena Corinthians.

- Agradecido por todos os companheiros, pelo esforço que fizeram, apesar de estarem com dez homens. Quando acabou o primeiro tempo falaram: "fica tranquilo, você já decidiu muitas vezes para nós, e agora a gente vai correr por você". Parabenizo a todos pelo esforço, pelo o que fizeram por mim. Graças a Deus vencemos com um resultado bom para chegar lá e jogar tranquilo, e agora é pensar no jogo de domingo - encerrou o jogador, que está fora do jogo de volta, na Colômbia.