icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/04/2014
10:39

Um dos maiores nomes do MMA de todos os tempos, Georges Saint Pierre teve um início no esporte curioso. O lutador revelou que sofria bullying na infância e que Royce Gracie foi sua maior inspiração para enfrentar o medo e começar a enfrentar adversários no mundo das lutas. Em entrevista ao "Sensei SporTV", o ex-campeão meio-médio do Ultimate explicou como aconteceu seu ingresso nas artes marciais e sua admiração por Roy Gracie.

O canadense afirmou que começou a treinar caratê para se defender dos possíveis ataques de crianças maiores que o provocaam nos tempos de escola. Segundo ele, isso acabou o tornando um lutador de MMA.

- Fui vítima de bullying, mas não gosto de reclamar pois isso fez com que eu me tornasse quem sou hoje. Não acho que quem sofre bullying deve agir como vítima. Sim, sofri bullying, mas usei isso como um obstáculo a ser superado na minha vida para eu me tornar mais forte. Esta foi uma daz razões que me levaram a treinar caratê, para me defender. Eu treinava caratê para me defender na escola e agora faço isso profissionalmente para ganhar a vida como lutador de MMA - explicou o atleta, que após a vitória contra Johny Hendricks, em novembro, decidiu abrir mão de seu cinturão para dar um tempo na carreira.

St Pierre ainda revelou que a primeira competição de sua carreira como lutador foi um desastre. Aos 10 anos, o canadense participou de sua primeira luta de caratê e foi derrotado em menos de um minuto.

- Comecei por diversão. Quando comecei a competir tinha 10 anos. Sempre vou me lembrar da minha primeira competição, minha primeira luta de caratê. Foi no estilo Kyokushin e eu era da categoria juvenil. A luta começou, meu adversário me deu um chute bem no estômago e caí no chão, sem conseguir respirar nem ficar de pé (risos). Eles interromperam a luta e eu perdi. Não demorou nem 30 segundos e eu fiquei envergonhado - relembrou.

O ex-campeão ainda revelou quem foi sua maior inspiração para viver do esporte. Segundo Georges, um brasileiro foi o responsável por fazê-lo se apaixonar pelo MMA.

- Me tornei um grande fã de MMA quando vi o Royce Gracie vencer o UFC 1. Estava na casa de um amigo, era adolescente naquela época. Meu mestre de caratê tinha falecido, então foi no exato momento. Nós alugamos uma fita de vídeo, uma fita do UFC. Eu vi pela 1ª vez... Na escola eu sofria bullying de caras que eram maiores e mais fortes do que eu. Então tive uma ideia quando vi Royce Gracie. Ele era um cara pequeno. Ele enfrentava aqueles adversários muito intimidantes e vencia. Ele era pequeno. Eu me identifiquei com ele. Queria me tornar alguém como ele. Ele se tornou minha inspiração e percebi que era aquilo que eu queria fazer na vida - revelou.