icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/12/2013
17:37

O Grupo H da Copa do Mundo, considerado um dos mais "sem graça", com Bélgica, Argélia, Rússia e Coreia do Sul, pode se dizer que ele já aconteceu. E nem tanto tempo assim. No Mundial de 2002, na Ásia, houve uma chave praticamente equivalente a esta. Por acaso, também era Grupo H.

Bélgica e Rússia também estavam lá. Os belgas não eram tão badalados quanto agora, e o atual treinador, Marc Wilmots, estava em campo, e com a braçadeira de capitão. O zagueiro Van Buyten já estava lá. A Rússia foi fraca e tinha jogadores como Titov, Karpin, Alenichev e Izmailov.

A Coreia do Sul, presente na Copa de 2014 no Grupo H, poderia ser a substituta do Japão, que foi cabeça de chave em 2002 por ser sede. Ambas são asiáticas. Para completar, uma equipe africana que, pelo menos na teoria, chega apenas para ser coadjuvante. Há 11 anos foi a Tunísia, e agora a Argélia.

Naquela altura, o fator casa favoreceu o Japão, que passou na primeira posição com sete pontos. A Bélgica foi a segunda colocada e foi com cinco pontos. Ambas caíram nas oitavas.