icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/11/2013
19:23

A intenção é manter Vargas. Mas o Grêmio já prepara o terreno para uma possível saída do chileno, que tem contrato de empréstimo terminando ao final do ano. No discurso, os representantes do clube gaúcho lembram que o jogador vai ficar um período longo com a seleção do Chile e que custa caro aos cofres do Tricolor.

A necessidade de investimento é dupla. Além dos recursos para convencer o Napoli a vendê-lo ou emprestá-lo por um novo período, o salário do atacante é alto - passa do meio milhão, com luvas. O Santos é o principal interessado na contratação do chileno.

- A intenção sempre foi manter o Vargas, mas temos que ter equilibrio nesse momento. Ele vai ficar muito a disposião da seleção chilena. Vão falar que o campeonato para para a Copa, mas tem o período de preparação. E sabemos como é importante para o jogador atuar na Copa, o foco dele nisso. A permanência é um obejtivo nosso, tivemos uma reunião para tratar disso, projetar cenários, mas tem que envolver vários interesses. A intenção é que ele fique - destacou Rui Costa, listando os empecilhos para o atacante ficar no clube.

O Peixe já entrou em contato com os italianos e ouviu que 50% dos direitos econômicos do jogador valem cerca de cinco milhões de euros. Seria o valor para contar com Vargas em 2014. O Grêmio, por outro lado, passa por severa crise financeira. Não tem como investir altos valores e passará por uma readequação em 2014 - o déficit em 2013 pode chegar aos R$ 90 milhões.

Atualmente, Vargas é o atacante que mais tem ido às redes no Grêmio. Com Barcos e Kleber vivendo jejum, o chileno marcou os últimos gols de jogadores do ofício: nos empates com Ponte Preta e Internacional. Sem o chileno, o Grêmio também não passaria pelos problemas do excesso de estrangeiros no elenco - o Tricolor tenta junto a CBF aumentar o limite de gringos utilizados por jogo.