icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/11/2013
08:03

No vestiário, no desembarque, nas arquibancadas. Seja o lugar que for o papo com algum gremista, torcedor, dirigente ou jogador, a cofiança é alta para a reversão do 1 a 0 conseguido pelo Atlético-PR na última quarta-feira, na Vila Capanema. Apesar da crença de que o Tricolor irá virar a semifinal na Arena, o time gaúcho não consegue uma vitória por dois gols de diferença há quatorze partidas, entre Brasileirão e Copa do Brasil. No ano, são apenas seis jogos no ano entre as duas competições.

A última vez que o Grêmio venceu com dois gols de diferença, o placar necessário na próxima quarta-feira, foi no dia 11 de setembro, na Arena Pernambuco, contra o Náutico, na reabertura do returno. Quatorze jogos atrás. No Brasileiro, são outros quatro jogos com esse saldo: Bahia, Cruzeiro, Fluminense e Náutico, no primeiro turno da competição.

A boa notícia para os tricolores é que, na Copa do Brasil, quando o clube precisou, fez o resultado. Nas oitavas de final, quando perdeu para o Santos na primeira partida, na Vila Belmiro, fez o 2 a 0 na Arena e se classificou para as quartas.

- Acredito na reversão, por isso convoco o torcedor do Grêmio. O jogo de volta é com o torcedor, vamos reverter o resultado e vamos para a final da Copa do Brasil. Não pode faltar o apoio do torcedor. Segundo, não pode faltar a consciência de que o Grêmio pode mudar lá e que o jogo é na casa do Grêmio - pediu o presidente gremista, Fábio Koff.

O clube gaúcho retoma os treinamentos na tarde desta sexta-feira. Para o jogo de volta, com o Atlético-PR, Renato poderá contar com o trio Barcos, Kleber e Vargas. A tendência é que escale a equipe no 4-3-3 que vinha sendo utilizado. Já neste domingo, no confronto com o Bahia, a presença do Gladiador ainda é incerta. O Grêmio tenta um efeito suspensivo da punição do STJD ao atacante por expulsão diante do Botafogo.