icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/03/2014
10:07

Há um jogo no domingo. Mas, pouco importa. O que é relevante, mesmo, é o duelo com o Newell's Old Boys, na Argentina, na próxima quarta-feira. A pressão no Colosso do Parque vai ser complicada, os gremistas admitem. Mas nada que já não tenha sido visto na Libertadores. O jogo com o Nacional (URU), no Parque Central, em Montevidéu, serve como parâmetro para os jogadores.

Na estreia na Libertadores, pairava uma dúvida principalmente sobre os jovens gremistas. Casos por exemplo de Luan, Ramiro e Wendell. Todos sendo dos melhores em campo. O lateral-esquerdo afirma que espera um clima muito semelhante ao vivido no Uruguai para o jogo na Argentina.

- Sabemos que vai ser muita pressão da toricda deles. Como eles sentiram a pressão aqui da nossa torcida, que está de parabéns pela festa que fez. O apoio deles nos deixa mais tranquilo em campo. Pegamos o Nacional lá, sabíamos que tinha pressão e soubemos nos portar. Acho que é parecido, um estádio acanhado. Esperamos chegar com a mesma personalidade na quarta-feira lá na Argentina para conseguir a vitória - destacou o camisa 18 gremista.

Especialista no assunto, já que é argentino, Barcos também tem a receita. Mas o capitão e camisa 9 valoriza bastante a necessidade que o Newell's terá de fazer o resultado em seus domínios. Por isso, considera que haverá uma pressão grande também sobre os donos da casa,.

- A pressão vai ser deles, de ganhar. Eles vão tentar ganhar o jogo. Vão ter a pressão, como hoje foi nossa pela vitória - projetou o Pirata.

O Tricolor irá se reapresentar na tarde desta sexta-feira, no Olímpico. O meia Zé Roberto será reavaliado após ter uma leve torção no tornozelo esquerdo. NO domingo, o Grêmio enfrentará o Pelotas, no Estádio do Vale, em Novo Hamburgo.


Com muitas chances perdidas Grêmio só empata na libertadores