icons.title signature.placeholder Eduardo Moura
30/07/2014
07:07

A lista é extensa. Tem anos dourados, de taça após taça, com constantes finais. O histórico de Luiz Felipe Scolari no Grêmio não permite reparos, mesmo com a perda do título mundial de 95. E esta relação forte de Felipão com o Tricolor é um dos pontos pesados para fechar com o treinador, amigo do presidente Fábio Koff. Tudo para que o clima de pressão do jejum de 13 anos sem títulos possa ser arrefecido.

O técnico tem como principais títulos a Copa do Brasil de 94, a Libertadores de 95 e o Brasileirão de 96. Chegou ainda na semi da Copa do Brasil, em 95, e só foi superado nos pênaltis na final do Mundial, pelo Ajax de Van Gaal, base da seleção holandesa.

O nome de Felipão, assim que anunciado, causou um impacto na torcida. As associações diárias, por exemplo, triplicaram. Mesmo que o treinador tenha protagonizado o maior vexame da história da Seleção Brasileira, na derrota por 7 a 1 para a Alemanha. Sinal de que a imagem de Felipão não está em nada arranhada com a torcida tricolor.

- O importante é que se traz um profissional com trajetória inquestionável, que sabe como se conquista título com essa camisa e é um trabalhador - disse o executivo Rui Costa, em entrevista na Rádio Guaíba.


O Tricolor convive com uma pressão que só os grandes vivem. Não conquista um título de expressão desde a Copa do Brasil de 2001. E a paciência dos tricolores é escassa com o time, como Enderson Moreira pode sentir na pele. A relação com o rival, um dos motivos do ranço dos torcedores com Enderson, por conta da goleada de 4 a 1 na final do Gauchão, também não assustará Felipão, que tem estreia marcada para o Gre-Nal do dia 10.

- O Grêmio faz tempo que ão consegue títulos importantes. Temos que não pensar nisso porque não somos responsáveis por não conseguirmos títulos. Mas temos que tirar esse peso para jogar com tranquilidade. Isso, sim, atrapalha, a ansiedade de ter que sair campeão. Tira um pouco o foco. Mas a gente tem essa pressão constantemente, somos responsáveis, mas é algo extra que de deveríamos tirar - comentou o capitão Barcos.

Felipão será apresentado às 11h desta quarta como novo treinador gremista, na Arena. Depois, comanda o treino com um setor do estádio aberto, para a presença de torcida. André Jardine, interino, será o comandante da equipe diante do Vitória, no sábado, no Barradão.