icons.title signature.placeholder Carlos Antunes
31/07/2014
15:53

O dia 6 de julho de 2013 foi a primeira e última (pelo menos por enquanto) vez que os fãs viram Roger Gracie no octógono do UFC. O brasileiro não rendeu o esperado e acabou derrotado por Tim Kennedy, resultando em sua demissão por parte da organização. Após um ano ausente das competições, Roger revela que chegou a se aposentar, mas que uma proposta o fez tomar uma decisão definitiva: ele vai voltar a lutar MMA. O faixa-preta de jiu-jitsu anuncia que seu retorno acontece ainda em 2014 e faz duras críticas ao "monopólio" do Ultimate, além de dar sua opiniao sobre sobre o polêmico TRT.

Em entrevista ao LANCE!Net, o especialista na arte suave afirma que está praticamente fechado com um evento para atuar ainda neste ano, mas prefere não revelar o nome e nem em qual país vai se apresentar. Inclusive, foi essa proposta que o tirou da aposentadoria do MMA e o estimulou a retornar.

- Estou em uma negociação praticamente fechada e nos próximos dias já devo anunciar meu retorno. Devo voltar a lutar esse ano ainda, acertamos tudo e em breve todos saberão em qual evento vou atuar. Estava aposentado do MMA e ainda não sabia se faria somente algumas lutas no jiu-jtsu. Mas agora recebi essa proposta, que foi muito boa, e reconsiderei minha aposentaria - disse, em entrevista por telefone ao L!Net.

Com 32 anos, Roger Gracie tem oito lutas na carreira, com seis vitórias e duas derrotas. Desanimado a respeito do andamento do MMA pelo mundo, principalmente pelo controle do UFC sobre os atletas, o lutador fez críticas à organização comandada por Dana White.

Roger Gracie chegou a se aposentar do MMA, mas reconsiderou a decisão (FOTO: Esther Lin/Strikeforce)

- Estou mais velho, realizei tudo o que sempre quis. Qualquer coisa que viesse seria um bônus. No MMA, o Ultimate monopolizou tudo, mas existem outros eventos. O problema é que como o UFC é o maior, eles controlam quanto os lutadores são pagos e na verdade eles não pagam tão bem assim. Tenho minha academia e não preciso do dinheiro do MMA para pagar as minhas contas - afirmou.

Confira o bate-papo:
Pelo o que falou, sua volta ao UFC em algum momento fica mais difícil?
Saí do Ultimate porque não quiseram renovar meu contrato e, para eles, eu era um atleta mais fraco em comparação aos outros. Eles não queriam pagar o que recebia na época do Strikeforce. Eu não aceitaria receber menos e lutar por lutar não quero. Fico com minha academia que é melhor.

Decidiu que vai subir para os meio-pesados?
Vou lutar nos meio-pesados. Atuar nos médios não dava para mim, foi um erro que cometi e hoje me arrependo bastante disso. Em nenhuma luta que fiz nos médios atuei da melhor maneira.

O que acha do banimento do TRT? O esporte ganha mais em credibilidade?
Se você é um atleta profissional não precisa de usar aditivos hormonais. Isso é uma desculpa que alguns dão para tomar esteróides. Não quero julgar os outros, podem ter casos que alguns atletas precisem mesmo, mas são casos especiais. Tem lutador que usa isso para aumentar o rendimento. Se um atleta fizer tudo certinho, consegue o mesmo resultado de alguém com tratamento.