icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese e Rodrigo Vessoni
27/11/2014
06:10

O Corinthians está confiante de que vai repatriar o volante Cristian para 2015, como espécie de principal presente de Natal para a torcida alvinegra. E, para isso, dois grupos da situação trabalham para não deixá-lo escapar.

O presidente Mário Gobbi Filho e o diretor de futebol Ronaldo Ximenes conversaram recentemente com o jogador. A pedida salarial foi na casa dos R$ 500 mil mensais, o teto do clube (valor do salário de Elias e do reajuste proposto a Guerrero). O mandatário já havia falado anteriormente que tinha um pré-acordo para contratá-lo antes de deixar o cargo e fará esforços para conseguir cumprir a palavra.

Outro grupo que fala com Cristian é formado pelo ex-presidente Andrés Sanchez e o ex-diretor Roberto de Andrade, candidato à presidência nas eleições que ocorrerão em fevereiro do próximo ano. Andrés mantém boa relação com o volante e, confiante na vitória da situação, diz a ele para “ficar tranquilo que vai dar um jeito de pagá-lo”. Para seus aliados na diretoria, como o gerente Edu Gaspar, também insiste para que ele seja contratado.

Aos 31 anos, Cristian está sem clube desde o fim de agosto, quando rescindiu contrato com o Fenerbahçe (TUR), justamente o clube para o qual ele foi vendido pelo Timão, na metade de 2009. Desde então, ele cuida de sua carreira por conta própria, após anos trabalhando com o empresário Carlos Leite. Os contatos com o Corinthians são feitos por telefone.

Os dirigentes ressaltam a dificuldade financeira que o clube vive desde o início de 2013 e que, segundo perspectiva orçamentária, pode até piorar em 2015. Isso seria um entrave para trazer um jogador caro para um setor que já conta com medalhões como Ralf e Elias, além de Bruno Henrique, destaque da equipe.

Apesar dos fatores contra, há o consenso que de que chegada de um ídolo Cristian traria um impacto positivo, tanto para a “despedida” de Gobbi quanto para um grupo que pleiteia começar um mandato com o pé direito. Será que vai chegar?

PRÓS E CONTRAS

Ídolo
Cristian é identificado com a torcida pela raça, e ainda mais ao mostrar o dedo do meio após fazer um gol na semifinal do Paulistão de 2009, contra o São Paulo. Tanto para Gobbi como para qualquer candidato à presidência, sua chegada será boa. Perdê-lo para outro clube brasileiro vai gerar mais pressão da torcida.

Agora, versátil
Primeiro volante no Timão, na Turquia ele jogou de segundo, terceiro meia e até segundo atacante.

Valores e idade
Cristian já tem 31 anos e qualquer contrato longo pode ser o seu último da carreira. Com “padrão europeu”, ele quer receber ao menos R$ 500 mil mensais. E ainda pode ter o valor das luvas para assinar, já que ele está sem clube e não haverá custo com transferência.

Setor cheio
O Timão já conta com Ralf, Elias e Bruno Henrique para o setor. Se Cristian for adiantado, ainda concorre com Petros, Jadson, Renato Augusto, Danilo, Lodeiro, entre outros.

Ajuda na chegada de Romero?

A diretoria do Corinthians afirma que, além de tentar ajudar na contratação de Cristian, o ex-presidente Andrés Sanchez está ligado à chegada do atacante paraguaio Ángel Romero.

O jogador foi contratado do Cerro Porteño (PAR) por um grupo de empresários cuja maior participação é de Beto Rappa, agente do zagueiro Cleber, ex-Timão, hoje no Hamburgo (ALE). Foram desembolsados US$ 3 milhões (R$ 7 milhões na época). Outro que ajudou na negociação foi o empresário Régis Marques, influente no mercado sul-americano. Ambos os empresários mantêm negócios com Andrés Sanchez, que nega participação na contratação.

O mesmo grupo ainda tenta a contratação do gêmeo Óscar. A situação do meia ainda está indefinida, pois o presidente do clube paraguaio tem preferência por vendê-lo para a Europa. Já o atleta quer se juntar ao irmão no Corinthians em 2015.