icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes
03/12/2013
07:03

A prioridade para 2014 é a contratação de um camisa 10 e o nome que encabeça a lista do Flamengo é o de Giuliano, que está no Dnipro, da Ucrânia. Antes mesmo de iniciar qualquer negociação pelo jogador, o clube, porém, tem ciência dos valores astronômicos que envolvem uma possível repatriação do meia de 23 anos.

A pedida inicial dos ucranianos é de cerca de 12 milhões de euros (R$ 38,2 milhões). O Fla, por sua vez, recebeu informações de terceiros que monitoram a situação do jogador que a transação poderia ser reduzida para um valor entre oito milhões de euros (R$ 25,5 milhões) e dez milhões de euros (R$ 31,8 milhões). Uma das estratégias para viabilizar o negócio seria tentar comprar parte dos direitos econômicos.

Além de esbarrar no custo muito alto da transferência, o Flamengo poderia ter dificuldades para arcar com o salários do meia. Giuliano assinou um contrato até junho de 2015 e recebe, por temporada, 2,5 milhões de euros (R$ 7,9 milhões) livres. O que corresponde a aproximadamente R$ 660 mil por mês.

A lista de jogadores para a posição tem ainda o meia Diego, do Wolfsburg (ALE). Assim como a situação de Giuliano, não há uma negociação. O clube apenas garimpa informações para uma possível investida. No caso do ex-santista, ele está vinculado aos alemães até o meio de 2014 e a partir de 31 de janeiro pode assinar um pré-contrato.

Uma transferência imediata, entretanto, dependeria do pagamento de cerca de cinco milhões de euros (R$ 15,9 milhões) ao Wolfsburg, que paga R$ 1 milhão por mês a Diego.

Os nomes de Giuliano e Diego já se encontravam em uma relação de possíveis reforços para 2014 há mais de um mês. Na época, o Flamengo ainda não havia confirmado vaga na semifinal da Copa do Brasil e, assim, não tinha certeza da participação na Libertadores do próximo ano.

Ascensão meteórica de Giuliano

2011
Valorizado
Depois de ser um dos destaques do Inter na Libertadores de 2010, Giuliano é negociado com o Dnipro, da Ucrânia. A jovem promessa, então com 21 anos, deixava o Colorado como campeão da competição intercontinental no ano anterior e com 102 partidas e 21 gols.

2011
Adaptação
Giuliano encontrou dificuldades de se ambientar no novo clube e país no início. No fim da temporada europeia daquele ano, fez só 11 jogos. Nos anos seguintes, porém, atuou com frequência. Só entre 2012/2013, foram 50 partidas, 13 gols marcados e oito assistências.

2012
Cobiçado
O nome de Giuliano voltou a ser recorrente entre os clubes nas janelas de transferências, mas brasileiro algum jamais conseguiu repatriar o jogador. Apesar de estar bem no Dnipro, Giuliano encontrava-se escondido no Leste Europeu sem voltar à Seleção Brasileira.

2013
Hora de retornar
Talvez a questão da Seleção tenha pesado e o meia, que só tem 23 anos, deseja voltar. Vontade manifestada ao próprio clube ucraniano após recente investida do Santos. A transferência, porém, esbarra no alto valor pedido pelo Dnipro para a venda do meia.