icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
07/07/2014
11:00

Quatro partidas disputadas na Copa do Mundo e nenhum gol. Mais de 80 dias sem balançar as redes pelo clube ou pela seleção (último tinha sido no dia 13 de abril, pelo Napoli). Criticado por torcedores e jornalistas de seu país. E principal candidato a perder a vaga de titular do setor ofensivo da equipe. Foi dessa maneira que Gonzalo Higuaín entrou na Arena Mané Garrincha para enfrentar a Bélgica. E, mesmo diante desse cenário tenebroso, marcou o gol da vitória que colocou a Argentina na semifinal da competição.

Como não poderia ser diferente, um sentimento de alívio tomou conta do camisa 9 após a partida, que fez questão de lembrar de todo mundo.

– Foi um gol importante, estou aproveitando esse momento. Todo o plantel merecia isso. Sempre disse que estava tranquilo e o gol chegou. Tive o respaldo da comissão técnica o tempo inteiro e estava feliz. Ganhar e fazer o gol é uma grande satisfação, ainda mais com esse grupo que luta tanto. Soubemos sofrer e estamos nas semifinais – afirmou.

O alívio já se transformou em confiança para Higuaín, que teve seu nome gritado na Arena Mané Garrincha por três vezes, algo que não aconteceu nem com Messi.

– Quando vi a bola lá dentro, foi uma felicidade enorme. O gol dá uma confiança a mais. Estou muito feliz e preciso dividir esse sucesso com o grupo (...)  Estou contente. Desde o primeiro dia que chegamos a este país, tratamos de sempre melhorar, crescer. Fico feliz por deixar tantos argentinos felizes – lembrou.

NEYMAR
Higuaín é companheiro de Zuñiga no Napoli (ITA). Para o camisa 9 da Argentina, o colombiano não teve intenção de machucar Neymar e muito menos de tirá-lo da Copa.

– Pela televisão se vê muito rápido. Foi um choque com o Camilo (Zuñiga) e eu o conheço bem. Minha impressão é de que não queria machucá-lo, mas são coisas que acontecem. É uma perda muito dolorosa para todo mundo que gosta de futebol. Tomara que o Neymar se recupere e volte logo – disse Higuaín.

BATE-BOLA COM GONZALO HIGUAÍN

‘Sem palavras para definir’

Qual o tamanho da alegria pela classificação para as semifinais?
Fazia muitíssimo tempo que a nossa seleção não atingia essa fase da Copa. Chegamos num momento importante, e o importante para nós era avançar.

E com um gol seu, que quebrou um longo jejum. Melhor ainda?
Sentimento de alegria. Disse que estava muito tranquilo. Esse grupo merece isso. Estou feliz, chegou o momento importante. Não tenho palavras para falar dessa equipe. Eu estava tranquilo, chegou o momento do Mundial em que eu estava tranquilo. Fazia muitos anos em que não conseguíamos chegar a uma semifinal e conseguimos. É uma
felicidade muito grande para toda a família. Nós sofremos muito. Agora vamos lutar para chegar à final da Copa do Mundo, algo que não será nada fácil. Temos de concentrar durante toda a próxima disputa.