icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
11/02/2015
08:00

Em processo de reestruturação financeira, após a perda da Unimed, o Fluminense ainda convive com os inúmeros desdoramentos da efervescente parceria. Em entrevista ao programa "Bola da Vez", da ESPN, o ex-Diretor Executivo de Futebol do clube, Rodrigo Caetano, revelou que seus vencimentos eram divididos entre clube e Unimed e também ressaltou que tinha papel de conciliador de desejos entre o Tricolor e seu patrocinador.

- Era uma cogestão. Meu contrato era parte pago pelo Fluminense, parte pela Unimed. Meu papel era conciliar, para que os desejos de ambos seguissem na mesma linha. - afimou Rodrigo Caetano

No entanto, Caetano salientou que clube e patrocinador faziam parte das discussões sobre o elenco. Rodrigo disse que sua parte era 'dar subsídios para a melhor tomada de decisão'

O clube e o patrocinador faziam parte da discussão. O patrocinador, que bancou o departamento de futebol (do Fluminense) durante 15 anos, foi crescendo sua participação no futebol. É algo normal. Mas nunca houve determinação nenhuma, mas nós discutíamos. Se não, não haveria o porquê de eu estar lá. Nós (executivos) temos que levar subsídios para a melhor tomada de decisão. Mas não tem como a decisão se afastar dessas pessoas (representantes do patrocinador). - complementou o Diretor

O executivo completou afirmando que é lamentavel que um parceiro deste porte tenha retirado seus investimentos do futebol.

- Há uma perda, porque você perder um patrocinador que fazia parte da gestão e emprestava credibilidade é um prejuizo muito grande. Conhecendo o clube, sei que eles (diretoria do Fluminense) se prepararam para o rompimento. O presidente (Peter Siemsen) dizia que o Fluminense tinha que entender seu tamanho como clube e ir se adequando a um orçamento reduzido. É lamentável que uma grande marca tenha se retirado do futebol. - encerrou