icons.title signature.placeholder Marcello Vieira
19/06/2014
08:41

O Fluminense inovou, apostou numa política de preços populares nos jogos dentro de casa e agiu contra a prática corrente do futebol atual, já que oficialmente, disse não à elitização. Entretanto, o clube está precisando lutar para manter a estratégia, uma vez que o Consórcio Maracanã S.A. pressiona pelo aumento dos valores cobrados. É o que garantiu à reportagem do LANCE!Net o assessor executivo do presidente Peter Siemsen, Jackson Vasconcellos.

Após a Copa do Mundo, finalmente o clube poderá usufruir do Maracanã sem limitações. A diretoria prepara um projeto para apresentar à concessionária sobre como pretende utilizar o estádio. A intenção é chegar num consenso para que todos saiam ganhando. Todavia, no que depender do Flu, o valor dos ingressos não mudará.

Cabe ressaltar que o Flamengo, outro clube que tem contrato em vigor para jogar no estádio, procurou o Fluminense nas últimas semanas para tentar elaborar um projeto comum. Apesar de aceitar dialogar neste sentido, os dirigentes tricolores acham difícil que o objetivo seja alcançado, uma vez que a natureza dos contratos firmados por ambas as instituições com a concessionária é bem diferente.

Enquanto para lucrar o Fla precisa de preços altos, o Fluminense fez um contrato seguro. Tem a receita dos setores atrás dos gols e fica praticamente livre de custos. O pensamento é fidelizar o torcedor e ganhar em imagem o que pode estar abrindo mão em arrecadação.

Para fazer dinheiro e pagar um time competitivo o Tricolor aposta no programa de associados que, na visão da diretoria do clube, pode crescer bem mais do que os cerca de 23 mil associados atuais.

Com a palavra - Jackson Vasconcellos - assessor executivo do presidente do Flu 

Sofremos pressão!

"O Fluminense tem sofrido pressão do Consórcio Maracanã S.A. para mudar os preços dos jogos. Entretanto, não planeja fazer modificações neste sentido, já que está confiante na estratégia adotada de preços populares. Prova disso é que já publicamos, numa iniciativa inédita, uma tabela com todos os preços dos nossos jogos até o fim do ano. Por isso, temos inclusive o Ministério Público a nosso favor e não queremos mudar esta situação. Acreditamos na nossa torcida"