icons.title signature.placeholder Pedro Leanza
06/11/2013
23:41

A dois passos do paraíso! Se há uma trilha sonora adequada para o filme vivido pelos flamenguistas na noite desta quarta-feira, no Maracanã, ela seria pautada pela música da banda Blitz. Com a vitória por 2 a 1 sobre o Goiás, pela partida de volta da semifinal da Copa do Brasil, o Rubro-Negro está na final da competição e a exatos dois jogos do título.

O triunfo foi conquistado de virada. Abusado, o Esmeraldino saiu na frente com o gol de Eduardo Sasha. Porém, ainda no primeiro tempo, o Fla virou com os tentos de Hernane e Elias, deixando o placar agregado da semifinal em 4 a 2. Na decisão, o time da Gávea irá enfrentar o Atlético-PR, que eliminou o Grêmio. Os duelos da final ocorrem nos dias 20 e 27 de novembro. Por sorteio, o Flamengo fará a segunda partida em casa.


FLA GARANTE VAGA NO PRIMEIRO TEMPO

Um time que anda em dia com as consultas no psicólogo, esse é o Flamengo de Jayme de Almeida. Dificilmente se abala. O gol de cabeça de Eduardo Sasha, que ganhou de Hernane no alto, aos quatro minutos de jogo, não foi suficiente para destruir a confiança rubro-negra. Dez minutos depois, o Brocador provou que quando está na área de ataque, um adversário raramente ganha dele. Após belo passe de Elias, o camisa 9 mostrou que sabe fazer gol bonito: belo toque por cima do goleiro Renan: 1 a 1.


Hernane festeja após marcar gol de empate (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

Pronto! A partir daí, qualquer dúvida sobre a classificação do Fla à final da Copa do Brasil parecia ter se dissolvida em meio à chuva que molhava o gramado do Maracanã. Tomado pela mesma confiança vinda das arquibancadas, Elias resolveu arriscar aos 24 minutos. Resultado? Golaço, para disputar com o do Brocador qual é o mais bonito da noite. E, antes da primeira hora de jogo, o Fla já repetia o placar da partida de ida, em Goiânia. Na comemoração, Elias homenageou o filho, que estava internado com pneumonia.


Elias simula uma mascara de oxigênio para homenagear o filho (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

Com a vantagem de 4 a 2 no placar agragado, o time de Jayme passou a usar a inteligência. Foi ela que fez com que o Fla colocasse a bola no chão, sem dar chances aos esmeraldinos. Em meio a este cenário, o primeiro tempo, com show da torcida rubro-negra, foi encerrado.

GOIÁS AMEAÇA, MAS FLA FICA COM A VAGA

Na volta do intervalo, o Goiás não demonstrava ter forças para inverter o resultado. Abatido pela virada sofrida, a equipe goiana viu o árbitro mantê-lo vivo na disputa. Aos nove minutos, Carlos Eduardo cruzou para Hernane, que escorou para o fundo das redes. Seria o terceiro gol do Fla, caso Leandro Pedro Vuaden não tivesse assinalado, de maneira errada, impedimento do Brocador.

Com a ajudinha da arbitragem, a equipe visitante cresceu ofensivamente, o que deixou a partida mais intensa. Enquanto o Goiás levava muito perigo em bolas lançadas na área, o Rubro-Negro desperdiçava ótimos contra-ataques. O melhor deles foi com Diego Silva, que logo após entrar na vaga de Carlos Eduardo, aos 21 minutos, chutou para ótima defesa de Renan.



Fla consegue segurar pressão do Goiás na segunda etapa (Foto:Cleber Mendes/LANCE!Press)

O tempo ia passando, passando e todos podiam perceber que somente um azar extraordinário tiraria a classificação do Fla. Talvez por ter tanta certeza da vaga na final, Paulinho perdeu um gol sem goleiro, aos 40 minutos, após bela assistência de Hernane.

Porém, tudo era festa: 2 a 1, resultado final. Agora, deixaram o Mengão chegar! Será? O problema é do Atlético-PR.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 X 1 GOIÁS

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 6/11/2013 - 21h50
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden - RS (FIFA)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock - (SC) e Carlos Augusto Nogueira Júnior - (SP)
Renda e público: R$ 3.375.410,00 / 49.421 pagantes
Cartões amarelos: Carlos Eduardo, Luiz Antonio (FLA);

GOLS: Eduardo Sasha, aos 4'/1ºT (0-1); Hernane, aos 13'/1ºT (1-1); Elias, aos 24'/1ºT (2-1)

FLAMENGO: Paulo Victor; Léo Moura, Wallace, Chicão e André Santos; Amaral, Luiz Antonio, Elias e Carlos Eduardo (Diego Silva, aos 21'/2ºT); Paulinho (González, aos 44'/2ºT) e Hernane. Técnico: Jayme de Almeida.

GOIÁS: Renan, Vitor, Ernando, Rodrigo e Mário Sérgio; Amaral, David, Eduardo Sasha (Júnior Viçosa, aos 13'/2ºT), Roni (Wellington Júnior, intervalo) e Renan Oliveira e Thiago Mendes; Roni. Técnico: Enderson Moreira.