icons.title signature.placeholder João Pires
08/11/2013
19:37

A sexta edição do Novo Basquete Brasil (NBB) começa neste sábado, com o clássico de abertura entre Flamengo e Brasília, às 10h, na HSBC Arena, no Rio de Janeiro. Os dois são os principais candidatos ao título, mas outras equipes também podem pintar na briga.

Tanto Flamengo quanto Brasília chegam com diversas semelhanças no torneio. As duas equipes buscaram reforços no exterior e sofreram perdas principalmente no garrafão.

O time rubro-negro contratou o armador Nicolás Laprovittola, jogador da seleção argentina, e o pivô americano Jerome Meyinsse, campeão argentino na temporada passada com o Corrientes. A equipe carioca ainda trouxe o jovem pivô Cristiano Felício, que estava tentando uma vaga no basquete universitário dos Estados Unidos.

E MAIS:
> Olivinha pode atingir marca histórica na estreia do NBB
> Salários começam a ser pagos no basquete do Flamengo

O Fla, porém, perdeu uma importante peça de sua equipe: o pivô Caio Torres, que se transferiu para o São José. Outra saída importante foi a do ala Duda Machado, que foi para o Macaé.

Já o Brasília se reforçou com o armador Martín Osimani, jogador da seleção uruguaia, e o pivô Marcus Goree, que estava na França. A principal perda do time candango foi a do pivô Paulão Prestes, que está agora no Franca.

O time da capital ainda será comandado por Sergio Hernandez, medalhista de bronze no comando da Argentina na Olimpíada de Pequim, em 2008. O argentino espera contribuir com o basquete brasileiro.

- A minha cultura no basquete é alta. Todos sabem que na Argentina nós não temos muitos jogadores altos e atléticos e talvez por isso nos preocupamos mais com a organização e a ciência do jogo. Se eu puder colaborar com isso no Brasília e também no Brasil, ótimo. Mas eu não sou nenhum maestro - explicou Hernandez.

O time do Franca é um dos que chega bem reforçado ao NBB 6. Além de Paulão, trouxe o pivô americano Chris Hayes, que jogou pelo Flamengo em 2011/2012, e o ala-pivô Feliciano Perez Neto, jogador de 23 anos e 2,10m que chamou a atenção do técnico Lula Ferreira.

O Bauru também contratou bem. Lucas Tischer, pivô com boa passagem pelo Brasília e que já jogou no Phoenix Suns, foi o primeiro a chegar. O ala-pivô Murilo Becker, MVP em 2011/2012, foi outro nome forte que chegou ao time. O ala Josimar Ayazar, da seleção do Panamá, foi outro reforço.

Confira o time considerado titular de cada uma das 17 equipes do NBB

Basquete Cearense: Brandon Brown, André Goes, Felipe Ribeiro, Drudi e DeVon Hardin
Bauru: Ricardo Fischer, Larry Taylor, Gui Deodato, Murilo Becker e Lucas Tischer
Brasília: Nezinho, Alex, Arthur, Guilherme Giovannoni e Marcus Goree
Espírito Santo: C.J. Collins, Eddy, Rashaun McLemore, Afam Muoejeke e Daniel Filé
Flamengo: Nicolás Laprovittola, Marcelinho Machado, Marquinhos, Olivinha e Jerome Meyinsse
Franca: Figueroa, Léo Meindl, Eddie Basden, Chris Hayes e Paulão Prestes
Goiânia: Fernando Penna, Diego, Emilio Taboada, Fernando Mineiro e André
Liga Sorocabana: Nafis Ricks, Ned Cox, Schneider, Daniel Conti e Guilherme Hubner
Limeira: Hélio, Ronald Ramon, David Jackson, Teichmann e Bruno Fiorotto
Macaé: Jamaal Smith, Duda Machado, Marcio Dornelles, Pablo Espinoza e Juan Torres
Minas: Elinho, Betinho, Wanderson, Douglas Nunes e Jeff Agba
Mogi das Cruzes: Gustavinho, Jefferson Campos, Marcus Toledo, Thomas Gherke e Bábby
Palmeiras: Caleb Brown, Neto, Andrew Wiggins, Tyrone e Átila dos Santos
Paulistano: Kenny Dawkins, Desmond Holloway, Pilar, César e Mineiro
Pinheiros: Paulinho, Shamell, Jonathan Tavernari, Rafael Mineiro e Toyloy
São José: Fúlvio, Laws, Dedé, Jefferson e Caio Torres
Uberlândia: Valtinho, Audrei, Robert Day, Gruber e Cipolini