icons.title signature.placeholder RODRIGO CERQUEIRA
15/06/2014
12:08

A goleada sofrida para a Holanda por 5 a 1, na Arena Fonte Nova, em Salvador,  deixou "feridas" e abriu discussões na Espanha. Para conseguir a classificação para as oitavas de final da competição, a missão é clara: vencer Chile e Austrália com um placar elástico, se possível, para evitar surpresas e não depender de ajuda dos rivais. Isso significa uma mudança de postura da Fúria. Só ter a posse de bola e controlar o jogo, e vencer por um placar mínimo, não adianta mais. Agora, é obrigação atacar, atacar e atacar... Seria o fim do tiki-taka, um estilo de jogo que levou o país aos títulos de duas Euros (2008 e 2012) e uma Copa (2010)?

A situação da Espanha é complicada. A equipe tem um saldo negativo de quatro gols, contra dois positivos dos chilenos. A partida desta quarta-feira, no Maracanã, é a chance de mudar um pouco esse quadro. E ter no jogo contra a Austrália, no dia 23, em Curitiba, a oportunidade de deixar um saldo bem positivo.

Para Xabi Alonso e Fàbregas, jogadores que participaram da entrevista coletiva da Espanha neste domingo, em Curitiba, não necessariamente é o fim de um estilo de jogo vencedor, porém já colocado em xeque pelos resultados recentes. Mas ambos deixaram claro que o grupo precisa de alternativas se quiser avançar no Mundial. Vale lembrar que com o tiki-taka, a Fúria levou a Copa do Mundo de 2010, mas com média de gols de 1,14 por jogo.

- Há momentos na vida que temos que atacar e ganhar. E o rival, da maneira como joga, será muito valente. Temos que ser mais valentes, atacar mais e tentar ganhar por mais de um gol. Temos jogadores de muita classe, muito nível. Então é atacar e fazer gols - disse Fàbregas, avisando que a mudança de postura não precisa ser feita com uma grande mudança de jogadores na equipe.

Xabi Alonso, que marcou o gol da Espanha contra a Holanda, também cobrou mais atitude. Para o volante do Real Madrid e da Espanha, o futebol dá a chance de uma volta por cima muito rápido, então é preciso aproveitar o jogo contra o Chile, nesta quarta-feira, no Maracanã:

- Vamos jogar e tentar corrigir os erros. Acreditamos, confiamos nessa equipe. Temos uma oportunidade contra o Chile de mudar essa situação. O futebol é muito volátil, dá a oportunidade de mudar as coisas rapidamente. Se o time não cometer erros, temos boas chances.