icons.title signature.placeholder Renato Rodrigues e Rodrigo Vessoni
13/11/2013
08:03

A relação entre Corinthians e Tite tem ficado cada vez mais insustentável. Enquanto espera atingir os 46 pontos no Brasileirão para definir seu futuro – falta apenas um –, o técnico se convence de que chegou a hora de partir. Pressão interna, vazamento de notícias, falta de posicionamento e de apoio da diretoria são alguns dos vários motivos que farão dos cinco jogos restantes do ano os últimos da atual passagem pelo clube.

O primeiro dos cinco atos acontece nesta quarta-feira, às 21h50, contra o Coritiba, no Couto Pereira, com transmissão em tempo real no LANCE!Net. Como a meta de alcançar a zona de conforto deve ser alcançada até o domingo, as partes se mexem para, enfim, colocar um ponto final na novela. Depois do Coxa, o adversário será o Vasco, na volta da equipe ao Pacaembu após as punições do STJD. É somar mais um pontinho e definir o início de 2014.

O LANCE!Net apurou que a chance da renovação do contrato, que termina no dia 31 de dezembro, está cada vez menor. A maior preocupação do técnico é a maneira como a história está sendo conduzida pela diretoria. Jogadores, comissão técnica e membros da cúpula corintiana dão como quase certo o fim do casamento que rendeu, desde 2010, Mundial, Libertadores, Recopa Sul-Americana, Brasileirão e Paulistão.

Uma das chateações de Tite é a forma como notícias de bastidores estão sendo passadas para a imprensa. Além de ver histórias distorcidas, o técnico se sente desamparado. Em resumo: está cada vez mais sem clima para continuar o casamento que dura mais de três anos. Até atletas dizem não entender o motivo do “diz-que-me-diz” sobre o assunto e sentem que o chefe está sendo fritado.

A chance de o técnico abandonar o barco antes do fim do contrato é quase zero. A tendência é que haja um “acordo de cavalheiros” para as partes virarem a página com sorriso amarelo no rosto. Tite espera uma decisão rápida e também não quer arrastar o assunto até meados de novembro. O fim está próximo.

Enquanto isso, Mano Menezes espera a ligação de Mário Gobbi.


Mano Menezes aguarda chamado

Apesar de ainda não ter dado o aval para diretores procurarem Mano Menezes, é ele o provável sucessor de Tite no Corinthians, a partir de janeiro do próximo ano.

Sem trabalhar desde que deixou o Flamengo, no meio de setembro, Mano já planeja voltar à ativa na próxima temporada. A ideia é aproveitar as últimas semanas de novembro e o início de dezembro para descansar e começar a formular o projeto para 2014 em seguida.

Desde que deixou o Corinthians no meio de 2010 para dirigir a Seleção Brasileira, o treinador não consegue deslanchar. No comando do Brasil, foi eliminado da Copa América ainda nas quartas de final, nos pênaltis, para o Paraguai. Nas Olimpíadas, com o time sub-23, perdeu a final e a medalha de ouro para o México.

Em junho deste ano, assumiu o Flamengo, mas também não obteve bons resultados. Pediu demissão após derrota por 4 a 2 para o Atlético-PR, no Maracaná, no dia 19 de setembro, alegando que os jogadores não o entendiam. Curiosamente, seu substituto, Jayme de Almeida, levou o Fla à final da Copa do Brasil.

Pelo Timão, entre 2008 e 2010, Mano teve 103 vitórias, 49 empates e 33 derrotas – 64,5% de aproveitamento.