icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/07/2014
14:23

A Fifa prestará uma homenagem ao ex-jogador argentino Alfredo Di Stefano, falecido na última segunda-feira aos 88 anos. Antes da semifinal da Copa entre Argentina e Holanda, na Arena Corinthians, nesta quarta-feira, será respeitado um minuto de silêncio em memória de um dos mais importantes futebolistas da história. Uma imagem do argentino também será exibida no telão do estádio e todos os jogadores da Argentina jogarão com uma tarja preta na camisa.

A homenagem da Fifa é anunciada um dia depois de a entidade ser criticada por não tê-la feito já na outra semifinal, entre Brasil e Alemanha, nesta terça-feira, no Mineirão. Na Espanha, onde Di stéfano vivia, a imprensa fez duras críticas à entidade.

Di Stefano foi vítima de um ataque cardíaco, sofrido no último sábado, na Espanha. O episódio aconteceu perto do Estádio Santiago Bernabéu, do Real Madrid, por quem o argentino marcou época, sendo considerado o maior ídolo da história do clube.

Segundo maior artilheiro da história do Real com 308 gols, Di Stéfano nasceu na Argentina, onde jogou por River Plate e Huracán. Antes de atuar na Espanha, teve uma passagem pelo Millonarios, da Colômbia. Chegou ao Real Madrid em 1953, conquistando por oito vezes o Campeaonato Espanhol, além de cinco taças da Copa dos Campeões (Atual Liga dos Campeões), um Mundial de Clubes e uma Copa do Rei.

Di Stéfano defendeu ainda as seleções argentina, em seis jogos, e espanhola, em 31 jogos. O craque, porém nunca defendeu as cores de nenhum país em Copas do Mundo. O maior ídolo da história do Real Madrid jogou ainda, já no final da carreira, por outro clube na Espanha, o Espanyol, que defendeu dos 38 aos 40 anos.