icons.title signature.placeholder Luis Fernando Ramos
03/04/2014
14:21

Felipe Nasr estará muito ocupado nesse fim de semana. Além de participar da rodada dupla de abertura da temporada da GP2, correndo pela Carlin, o brasiliense de 21 anos terá sua primeira oportunidade com o F-1 da Williams numa sessão oficial – irá substituir Valtteri Bottas no primeiro treino livre, amanhã. A troca deve ocorrer em outras quatro ocasiões ao longo do ano.

Tanto trabalho é o caminho que o piloto encontrou para buscar uma vaga na Fórmula 1. Depois de dois títulos nos seus primeiros passos no automobilismo – da F-BMW Europeia em 2009, e da F-3 Inglesa em 2011, Nasr vai para sua terceira temporada na GP2 ainda em busca de sua primeira vitória na categoria. Mas para ele é claro que não adianta focar em um só objetivo:

– Preciso mostrar serviço com os dois carros. Tenho de aproveitar bem os dias na Williams e mostrar meu potencial. E na GP2, voltando para meu terceiro ano, é para disputar o título e tentar vencê-lo. Se tiver uma boa performance nas duas, ficará mais fácil pensar em estar como titular na F-1 no ano que vem.

Nasr experimentou o FW36 e completou mais de cem voltas em um dia de testes na pré-temporada, justamente no Bahrein. Andou num ritmo próximo ao dos titulares e recebeu elogios. Quando andar no treino livre, terá a chance de mostrar que já está adaptado ao carro da F-1.

– É um carro mais eficiente em todos os aspectos: freio, aerodinâmica, resposta ao volante. Mas para quem vem da GP2, como eu, é um passo ideal, e não um grande demais como para quem pula direto da F-3. O carro da GP2 te acostuma melhor, em especial para essa nova geração dos motores V6 que possuem um torque muito grande. A maior diferença que senti foi em relação aos freios.

Com a Williams tendo Felipe Massa iniciando um contrato de três anos e um piloto promissor como Bottas, Nasr admite que uma eventual porta de entrada para virar titular possa se abrir em outro canto.

– É difícil falar, não sabemos o que vai acontecer até o fim da temporada. Penso em aproveitar esse ano para aprender ao máximo e ver qual oportunidade pode surgir, seja na Williams ou em outra equipe.