icons.title signature.placeholder Caio Carrieri, Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
17/06/2014
10:00

Luiz Felipe Scolari não tem dúvidas de que a torcida será o 12º jogador da Seleção Brasileira diante do México, nesta terça-feira, em Fortaleza. O técnico, porém, evidenciou uma certa preocupação com o comportamento vindo das arquibancadas em relação às dificuldades que poderão ser encontradas em campo pelo Brasil.

O comandante quer que o torcedor que for à Arena Castelão também tenha paciência, especialmente em algum momento que a equipe mexicana ofereça resistência ao Brasil ou cause pressão.

- Temos o povo conosco e nosso time está cada dia em melhores condições. Mas é preciso dizer a eles que não esperem que o Brasil entre e seja o dono da festa sem o participante ter uma boa participação - frisou.


A certa apreensão do técnico remonta ao histórico de jogos difíceis contra o México. Apesar de mudanças para 2014 em relação ao time que perdeu para o Brasil na Copa das Confederações no ano passado, Felipão enalteceu o rival desta terça-feira.

- Sempre que jogamos contra eles, temos dificuldades. Parece que nos números há muito equilíbrio. E será um jogo assim. Deverão ter um posicionamento muito correto do início ao fim. Se lembrarem, no ano passado, o segundo gol nosso foi feito aos 40 minutos do segundo tempo. As duas equipes jogam um futebol de boa qualidade. Há muita movimentação e trabalho de bola. Vamos continuar insistindo nisso. Uma vitória nos deixa em uma situação muito confortável - analisou o técnico.