icons.title signature.placeholder Felipe Domingues
11/02/2015
08:15

Jogando em casa, em frente à sua torcida e com um sonho. É assim que se encontra o brasileiro João Souza, o Feijão (110º), que passou pelo espanhol Pablo Carreño-Busta (56º) na primeira rodada do Aberto do Brasil, nessa segunda-feira. A vitória veio por 2 sets a 0, com parciais de 6-2 e 7-6 (8-6). Agora, ele tem uma meta diferente de "apenas" ser campeão no Brasil.

– Quero terminar esse ano mais perto dos 60 melhores do mundo. Em junho ou julho, começa a convocação para a Olimpíada. Ser o 50, seria melhor, porque entro direto na Rio-2016. Quero jogar o máximo de torneios possível. Tudo que eu fizer vai somar para subir no ranking. Essa é minha meta – comentou o tenista, em entrevista coletiva após a vitória sobre o espanhol.

Carregar um ouro olímpico em seu currículo é mais do que um simples objetivo de Feijão. De acordo com ele, defender seu país no Rio de Janeiro seria gratificante.

– É o sonho de qualquer atleta brasileiro. É meu sonho, minha meta. Jogar a Olimpíada no próprio país é marcante e gratificante para qualquer um – afirmou.

Mas não é apenas a subida no ranking e uma convocação para a Olimpíada que mexem com o brasileiro de 26 anos. A ideia de defender a “camisa da Seleção” no Pan-Americano de Toronto (CAN) nesse ano, também é um sonho.

– É um evento muito legal. Na última (Pan de Guadalajara, em 2011) não fui bem e caí na primeira rodada. É uma “mini-olimpíada”. Se me chamarem, mudarei meu calendário e, com certeza, estarei pronto para ir – completou Feijão.

E não é só ele que sonha com os Jogos Olímpicos. O duplista Bruno Soares, que estreia nesta terça-feira no Aberto do Brasil, também comentou sobre o sonho de defender a amarelinha dentro do próprio país.

- Jogar uma Olimpíada é a coisa mais especial que tem. Somos privilegiados por estar em uma geração que teve isso, uma Olimpíada em casa, no Rio de Janeiro. Então, sem dúvida nenhuma, só de estar presente na Olimpíada já é algo grande para um atleta. Jogar no Rio será uma coisa inesquecível - disse Soares, ao LANCE!Net.


Bruno Soares sonha com a Rio-2016 (Foto: AFP)