icons.title signature.placeholder Vinicius Perazzini
28/06/2014
17:36

A Costa Rica, grande surpresa dessa edição da Copa do Mundo, não tem pretensões de terminar sua participação no mundial na fase de oitavas de final e a ansiedade já toma conta da concentração costarriquenha. Mas mesmo depois de acabar a fase de grupos em primeiro lugar do temido Grupo D, o grupo da morte, a equipe rechaça qualquer status de favorita para a partida contra a Grécia. Foi isso que o meio-campo Michael Barrantes e o treinador Jorge Luis Pinto deixaram claro na tarde deste sábado, em entrevista coletiva na Arena Pernambuco.

- Podem nos nomear como quiser, mas estamos fazendo uma grande história. Já colamos o nome da Costa Rica no alto e queremos colocar ainda mais. Não acho que somos favoritos, nós vamos enfrentar uma grande selelção. Eles têm méritos por estarem aqui. Nós chegamos aqui com o nome de zebra, supreendemos todo o mundo. Queremos chegar o mais longe possível, estamos consientes do nosso pontencial. É um jogo complicado, a Grécia teve méritos para avançar. Será um jogo muito difícil - afirmou o jogador.
 
- Acho que já deixamos o passado de lado. Só pensamos na Grécia, que tem jogadores importantes e também já mostrou que dá para ganhar coisas grandes. Acho que a Costa Rica está pronta. Os jogadores estão super motivados, cheios de vontade. se pudesse, já estaria jogando hoje. Esse jogo representa muito para nosso país. Temos que pensar grande, mas o primeiro jogo é a Grécia - analisou o comandante costarriquenho.

Pinto também revelou que não pretende fazer alterações na disposição do time e elogiou muito a equipe grega. Mas a Costa Rica conta com a ajuda de um grande espião para decifrar a tática da Grécia. O atacante Campbell, destaque na campanha do mundial até aqui, atua pelo Olympiacos, no futebol grego.

- Pelo menos 30 jogos este ano o Campbell jogou. Eu acompanho o Campbell. Não vimos apenas os 90 minutos contra a Costa do Marfim. Fizemos uma pesquisa detalhada deles, não só em vídeos, mas estudamos as características de cada jogador. É uma seleção que sabe marcar bem, contra atacar e tem experiência. Samaras é muito bom no contra-ataque, tem talento, desequilibra e tem definição, temos que saber controlá-lo. Maniatis dá saida para a equipe, o Karagounis é brilhante, Torosidis e Sokratis também são muito bons, assim como os dois laterais - concluiu Pinto.

Depois da entrevista, o meia e o treinador da equipe se juntarem ao restante da delegação na ida para o CT Wilson Campos, do Naútico, para realizar o último treino antes do confronto. Para preservar o gramado da Arena Pernambuco o trabalho não pode ser feito no estádio.

O confronto das oitavas de final entre Costa Rica e Grécia acontece na Arena Pernambuco, no próximo domingo, às 17h. O vencedor da partida enfrentará Holanda ou México na fase de quartas de final da Copa do Mundo.