icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/06/2014
16:01

A barba do cruzeirense Thiéres Firmino tem seis centímetros de comprimento. Ele não corta desde 1º de janeiro, quando fez promessa para o Cruzeiro vencer a Copa Libertadores. A Raposa caiu nas quartas de final diante do San Lorenzo (ARG). Os pelos, não. Problemas passados incentivam a manutenção.

É a terceira vez que Firmino faz a promessa. Em 2011, cortou para presentear a mãe no aniversário e veio uma má fase do Cruzeiro. No ano passado, retomou o intento, mas aparava a barba constantemente. Num desbaste caprichado, o Cruzeiro engatou uma série de três derrotas seguidas e o torcedor ficou cismado.

- Não sei se tem alguma coisa a ver, mas, por via das dúvidas, mantenho a barba e não a aparo mais. Nos Estados Unidos tem uma crença de que se está dando certo, não é estranho – afirma o torcedor, garantindo que não é supersticioso e que faz tudo em favor do Cruzeiro.

- Não vejo jogo de futebol nenhum, não paro para ver futebol, pois eu não gosto muito. Mas, por ser sócio, não falto a nenhum jogo do Cruzeiro. Gosto do Cruzeiro. Por isso, em vários momentos eu me pego sem olhar para o campo, tentando fazer a torcida cantar pelo time - acrescenta.

TÁ RUIM...

Se por um lado a barba ajuda o Cruzeiro, por outro, atrapalha o torcedor, que está sem namorada. Ele atribui a má fase pessoal aos grandes pelos faciais.

- Estou sem namorada e sem previsão de conseguir enquanto estiver com esta barba – brinca – Quando o Cruzeiro for campeão eu procuro uma – completa, bem-humorado.

… MAS TÁ BOM

Atrapalha no amor, mas ajuda no jogo. Firmino é jogador de rúgbi em Belo Horizonte (MG) e usa a barba como arma.

- Eu nem sou um jogador tão bom assim, mas assusto os adversários – revela o Barba Azul cruzeirense.

Firmino explica que a promessa é proativa. É para o time ser campeão. Para agradecer pelos títulos, ele também já fez promessas.

- Prometi que se ganhássemos a Libertadores, eu compraria a passagem para o mundial no dia seguinte e que invadiria o campo se fôssemos campeões. Também pagaria um almoço para sete amigos numa churrascaria muito cara em Belo Horizonte.

Para o bem do bolso de Firmino, o Cruzeiro não vai ao Mundial, pelo menos neste ano. Como se diz em Minas: "Tá ruim, mas tá bom".