icons.title signature.placeholder Gabriela Abrunheiro / Radar
24/02/2015
15:24

Apesar do bom desempenho e dos resultados positivos conquistados dentro de campo, pode-se dizer que o ano do Corinthians começou conturbado. Às vesperas de estrear na Copa Libertadores, o técnico Tite perdeu o meia Lodeiro para o Boca Juniors, da Argentina. Na última terça-feira, foi avisado de que o Jiangsu Sainty, da China, pagará a multa rescisória de Jadson. Mas não para por aí. Além da baixa desses dois atletas, o Timão ainda tem no elenco outros cinco jogadores em situação complicada.

O zagueiro Gil, o meia Petros e o atacante Luciano são alguns dos atletas que podem deixar de vestir a camisa alvinegra ainda nesta temporada. Como o LANCE!Net revelou, o denfensor corintiano está muito bem encaminhando com o Wolfsburg, da Alemanha. Os valores da negociação giram em torno de R$22 milhões e a tranferência deve acontecer na janela de julho. Já a situação de Petros e Luciano diz respeito a uma insatisfação pela reserva. O meia, que foi bastante aproveitado durante a passagem de Mano Menezes pelo Timão, tem propostas de Internacional e Fluminense, de acordo com seus empresários. Luciano pode pegar a ponte-aérea e defender as cores do Flamengo. O clube carioca, entretanto, nega qualquer tipo de contrato.

Somados a esses, existem ainda aqueles jogadores que estão com a situação indefinida. São eles: Paolo Guerrero e Emerson Sheik. A dupla titular do ataque corintiano ainda não teve o contrato renovado (ambos terminam no meio do ano). A negociação com o dono da camisa 9 vem se estendendo desde o ano passado e atualmente está paralisada. Nas últimas conversas, Guerrero mostrou-se irredutível na pedida de luvas, em cerca de R$ 18 milhões. Na época, com Ronaldo Ximenes como diretor de futebol e Mário Gobbi Filho como presidente, a diretoria ofereceu cerca de R$ 10 milhões e mais ações de marketing que pudessem aumentar o valor e não houve acerto.

As conversas com Emerson Sheik sequer começaram. O vínculo com o clube é válido até o dia 31 de julho, antes da final da Copa Libertadores, que está marcada para o início de agosto. Para Mauro Beting, colunista do LANCE!, tais situações são comuns ao futebol brasileiro e não houve falha na administração corintiana.

- Tanto no Corinthians, quanto no Botafogo o Lodeiro não jogou bem. Caso o Jadson não tivesse feito gol, a torcida estaria comemorando a sua transferência. A questão de Luciano e Petros está mais ligadas aos empresários, são eles quem pressionam. Mas o Corinthians tem o Tite, que é a melhor pessoa para contornar isso. Já o Guerrero está pedindo muito, seja esta diretoria, a gestão anterior ou qualquer outro clube, não há muito o que fazer. São coisas do futebol - disse Beting.


Já a opinião de outro comentarista do LANCE! é diferente. Para Humberto Perón, o que faltou foi um planejamento financeiro. Assim, a negociação de jogadores é importante para o clube poder fazer caixa e tentar regularizar as contas.

- Foi feito um planejamento para o futebol, tanto que o time está se sustentando dentro de campo. Mas falta dinheiro, por isso o time está vendendo jogadores. Tem a Arena também. Ou seja, o time ficou caro para o tanto que se arrecada - disse Perón.

Nesse sentido, Andrés Sanchez, superintendente de futebol do Corinthians, já deixou claro que os cerca de R$ 5 milhões angariados com transferência de Jadson serão utilizados para quitar alguns débitos do clube. Dentro das quatro linhas, Tite deve esboçar o novo meio de campo alvinegro já na próxima quarta-feira diante do Linense, em partida válida pelo Campeonato Paulista.

Veja a real situação do elenco corintiano!

SAÍRAM / DE SAÍDA:

Lodeiro

Apesar de não ter tido espaço no ano passado, com o técnico Mano Menezes, estava em alta com a chegada de Tite. Durante toda a pré-temporada treinou como titular. Entretanto, às vesperas da estreia na Copa Libertadores da América resolveu aceitar a proposta do Boca Juniors, feita ainda em janeiro. O negócio rendeu cerca de R$8 milhões ao Corinthians.

Jadson

Com a saída do uruguaio, Jadson entrou no time, reconquistou a confiança da torcida e apresentou um bom futebol. É o líder de assistências do Corinthians na temporada, com cinco passes para o gol e foi destaque no Majestoso deixando a sua marca. Agora, o jogador deixa o futebol brasileiro para ir para a China. O Jiangsu, paragará a multa recisória e o Timão vai receber quase R$5 milhões.

ESPECULADOS:

Gil

A saída do zagueiro é praticamente certa, mas deve ocorrer apenas no meio do ano, após a disputa da Copa Libertadores da América. Como o L! revelou, Gil desperta o interesse de clubes europeus e seu empresário, Carlos Leite, e o Corinthians já deixaram o negócio muito bem encaminhando com o Wolfsburg, da Alemanhã. Os valores giram em torno de R$22 milhões, já que o Alvinegro tem 90% dos direitos do camisa 4.

Petros

O meia teve um atrito com a diretoria corintiana. Ainda no início do mês, seu empresário, Fernando Garcia, discuitiu com Edu Gaspar, gerente de futebol do clube, e disse ter em mãos propostas de Internacional e Fluminense. Vale lembrar que Petros foi titular durante a passagem de Mano Menezes, mas começou a temporada 2015 no banco de reservas. Inclusive, antes da partida contra o Once Caldas, na estreia da Libertadores da América, o jogador foi cortado até mesmo do banco de reservas. Segundo o treinador corintiano, a ausência de Petros aconteceu pela necessidade de levar um lateral. Caso entrasse em campo, o meia não poderia disputar o campeonato por outro clube.

Luciano

Vice-artilheiro do Corinthians na temporada de 2014, o atacante acredita que não vai ter o mesmo espaço com o técnico Tite. O grupo de empresários que detém parte dos seus direitos econômicos fazem pressão para negociar sua transferência. De acordo com o próprio jogador, a proposta do Flamengo é a que mais agrada. O time carioca, entretanto, negou qualquer tipo de contato.

O empresário do atleta chegou a declarar que Luciano precisava de novos ares e que deveria sair. Seu contrato com o Timão vai até 31 de dezembro de 2016. Para a posição, o Corinthians tem Guerrero, Sheik, Love, Malcom, Mendoza e até Danilo já jogou como atacante.

INDEFINIDOS:

Guerrero

Diretoria e jogador ainda não conseguiram chegar num acordo sobre a renovação do contrato. Nas últimas conversas, o camisa 9 mostrou-se irredutível na pedida de luvas, em cerca de R$ 18 milhões. Na época, com Ronaldo Ximenes como diretor de futebol e Mário Gobbi Filho como presidente, a diretoria ofereceu cerca de R$ 10 milhões e mais ações de marketing que pudessem aumentar o valor. Sem acerto, as negociações foram deixadas de lado com a aproximação da eleição presidencial do clube. Atualmente, as negociações estão paradas.

Sheik

Outro que está com a situação indefinida é Emerson Sheik. Seu vínculo com o clube tem duração até 31 de julho deste ano, isto é, antes do final da Copa Libertadores da América. Apesar disso, o clube alega não ter pressa em sentar para conversar com o atacante.