icons.title signature.placeholder Leo Burlá
25/06/2014
10:00

Segundo dados do Sistema Nacional de Cadastramento e Registro de Estrangeiros (Sincre), a seleção da Bósnia e Herzegovina é a seleção da Copa que conta com menos cidadãos residentes no Brasil.

Levantamento feito pelo órgão vinculado à Polícia Federal indicou que apenas 25 cidadãos do país europeu moram no país da Copa do Mundo, o mais baixo índice se consideradas as 32 seleções. No topo da lista está Portugal, que soma 281.918 mil lusitanos em solo brasileiro.

Sem muitos compatriotas por aqui, Susic disse não ver razão para uma má recepção ao time quando a equipe voltar ao país. Para ele, o feito histórico já garante o respeito do povo bósnio para com a sua seleção:

- Mesmo eliminados na primeira fase, eles nunca esquecerão que esta é uma seleção estreante em Copas do Mundo.

Mas não foi a eventual falta de apoio que incomodou o técnico bósnio Safet Susic nestes dias. Em entrevista coletiva concedida nesta terça, o treinador disse reiteradas vezes que um gol equivocadamente anulado na partida contra a Nigéria foi o fator determinante para a eliminação precoce dos bósnios.

- Se amanhã (terça) obtivermos um resultado positivo, as pessoas vão se dar conta que com um pouco mais de sorte ou decisões mais justas da arbitragem essa seleção poderia ter se classificado para as oitavas - lamentou Susic.

Bósnia e Irã encerram suas participações na primeira fase da Copa nesta terça, às 13h, em Salvador. Os bósnios já estão eliminados, mas o Irã pode obter uma inédita classificação às oitavas de final da Copa.