icons.title signature.placeholder Enrico Bruno
08/11/2013
19:49

Goleiro do Cruzeiro desde a temporada 2004, Fábio é, sem dúvida, um dos jogadores mais queridos e lembrados pela China Azul. Apesar de fechar o gol celeste por quase uma década, o goleiro descarta o apelido de ídolo do Cruzeiro. Para o camisa 1, o mais importante é ser lembrado pelo jogador como exemplo de pessoa, dentro e fora de campo.

- Não gosto dessa palavra, para mim somente Jesus é ídolo. Quero ser um exemplo, não só dentro de campo, mas como profissional, respeitador dos adversários, dos clubes que enfrento, e fora do campo como cidadão. Esse título que poderá vir no domingo será um presente maravilhoso que Deus está nos dando - falou o goleiro.

Acostumado com grandes momentos e climas de decisões, o goleiro também descartou estar ansioso pela partida de domingo, contra o Grêmio. Para não perder o foco, Fábio ressaltou a importância e consciência do grupo em dar um passo de cada vez.

- Não tenho mais ansiedade. Tenho paz. Estou na paz, tranquilo, trabalhando para chegar tranquilo no jogo. Esse é meu pensamento - falou o goleiro, antes de completar, dizendo sobre a expectativa para pegar o Grêmio:

- Sabemos que vamos ter um jogo difícil, o torcedor também sabe disso, mas tem toda a empolgação. O campeonato de pontos corridos é muito difícil, mas a euforia, a alegria do torcedor vai fluir de forma positiva dentro de campo. Temos que ter equilibrio para resolver as dificuldades da melhor forma possível de todas as maneiras - concluiu.