icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira
23/12/2013
07:01

Trabalhando como auxiliar de Oswaldo de Oliveira desde maio de 2012 até o fim da passagem do novo técnico do Santos, Eduardo Hungaro conheceu cada componente do elenco do Botafogo. E agora, com o comando da equipe em mãos, ele procurará implantar o estilo de liderança, que é bem semelhante ao do antecessor.

Assim como Oswaldo, Hungaro alia cobranças com incentivos nos vestiários. Motivador, ele apoia bastante os comandados e tenta passar uma energia positiva durante as preleções, para que o time entre em campo ligado.

– Sou um líder. Esse grupo de jogadores não me é estranho e tenho um ótimo relacionamento com todos. Tenho facilidade em lidar com o grupo e sou um profissional preocupado com a qualidade dos treinamentos – afirmou Duda, na apresentação como técnico.

Entretanto, se as instruções não forem cumpridas dentro de campo, ele não alivia. Hungaro é conhecido pelas cobranças fortes, mesmo trabalhando com a garotada. Como consequência, um dos grandes desafios será manter o bom ambiente do vestiário, sem desagradar os mais experientes como Seedorf, Jefferson, Bolívar e Marcelo Mattos.

O relacionamento com o holandês será um capítulo à parte na história de Hungaro no Glorioso. O camisa 10 discutia constantemente com Oswaldo, mas sempre havia um entendimento entre as partes. Tanto que tornaram-se grandes amigos, e Seedorf chegou a afirmar que Oswaldo foi um dos melhores técnicos com quem ele havia trabalhado.

A principal diferença entre os treinadores é referente à questão tática. Hungaro já sinalizou a preferência pelo tradicional esquema 4-4-2 ao 4-2-3-1 do ex-comandante.