icons.title signature.placeholder Thiago Fernandes
03/03/2014
10:12

Aos 19 anos, Eurico está longe da badalação do elenco do Cruzeiro. Simples e tranquilo, o volante ‘busca um lugar ao sol’ entre os comandados de Marcelo Oliveira. A concorrência é grande no setor do atleta: Rodrigo Souza e Willian Farias são os prediletos do treinador dentre os primeiros volantes do grupo. Mas ele receita paciência e dedicação para alcançar a sua vaga na equipe.

– Além de me dedicar nos treinamentos, tenho que ter paciência, saber esperar a hora certa para mostrar a minha qualidade e agarrar a primeira oportunidade que eu tiver. Tem muitos volante bons no elenco. Preciso respeitar a concorrência, mas sempre fazendo o meu trabalho nos treinamentos – declarou.

Antes do carnaval, o volante se encontrou com a reportagem do LANCE!Net em frente à Toca da Raposa, onde reside com os atletas oriundos das categorias de base, e falou sobre as expectativas como profissional cruzeirense.

Confira o bate-papo exclusivo com o atleta:
L!Net: Como é chegar ao profissional aos 19 anos?
É uma satisfação muito grande, uma responsabilidade que tenho desde novo. Sempre me preparei para isso. Tenho trabalhado forte e acredito que estou no caminho certo, matando um leão por dia para mostrar minha capacidade ao professor Marcelo (Oliveira).

L!Net: A confiança do treinador nos garotos da base te motiva?
A confiança do professor Marcelo em quem sobe para o elenco profissional é motivante. A auto-estima aumenta e ficamos cada vez mais animados para atuar entre os profissionais. Só tenho a agradecê-lo por tudo isso.

L!Net: Você estreou pelo Cruzeiro em um clássico contra o América-MG. Como avalia o desempenho?
Pelo pouco que joguei, creio que fui bem. Minha maneira de pensar é que o primeiro passo foi dado. Durante os treinamentos, tenho que mostrar a minha qualidade para o professor. Só assim a minha oportunidade vai chegar. Estou em busca do meu espaço.

L!Net: E como foi estrear no Mineirão?
Foi muito bom, a realização de um sonho, ainda mais em um clássico tão importante. Sonhava com isso há muito tempo. Foi excelente, principalmente porque tive contato com a torcida do Cruzeiro.

L!Net: Você quase marcou um gol contra o América...
Foi por pouco. Depois do jogo, meus amigos e familiares me ligaram e falaram: ‘poxa, foi por pouco’. Todo mundo elogiou. Se aquela bola entrasse, ficaria mais conhecido dos torcedores. Mas não posso continuar pensando nisso. Se fizesse o gol, seria uma boa, mas tenho que pensar na frente.

L!Net: Qual é o momento ideal para o jogador da base aparecer para o treinador?
Creio que nos treinamentos. É sempre bom estar bem, com a cabeça focada, tranquila, como aconteceu no jogo contra o América-MG. Em um determinado momento da partida, tínhamos quatro ou cinco atletas da base em campo.

L!Net: O Cruzeiro tem muitos atletas para a sua posição. O que fazer para chegar ao time titular?
Além de me dedicar nos treinamentos, tenho que ter paciência, saber esperar a hora certa para mostrar a minha qualidade e agarrar a primeira oportunidade que eu tiver. Tem muitos volante bons no elenco. Preciso respeitar a concorrência, mas sempre fazendo o meu trabalho nos treinamentos.

L!Net: Para o torcedor que não te conhece, como você se apresenta?
Sou um volante de muita marcação, que atua logo à frente do sistema defensivo. O torcedor cruzeirense pode esperar um jogador de muita garra em campo. Tenho espírito de luta e me dedico ao máximo para ajudar nos desarmes.

L!Net: Você começou no futsal, o que pode tirar do esporte?
O futsal é muito diferente do futebol de campo. Na quadra, você tem que ter técnica, movimentação acelerada e noção de espaço. Diria que estes três fatores são os que mais aproveito dentro de campo.

L!Net: No futsal, você treinou com o Enderson Moreira, atualmente no Grêmio. Como foi trabalhar com este treinador?
Na época que trabalhei com ele, estava no Colégio Magnum. Ele era um dos melhores treinadores e tínhamos um time muito forte, com o Lucas (Cândido, do Atlético-MG), o Gabriel, do Milan, e o Fred, que está no Shakhtar (Donetsk). Procurei tirar proveito de tudo o que ele nos passou.

L!Net: Você trabalhou com o Enderson, mas qual foi o melhor treinador da curta carreira?
Não diria que foi o melhor, porque é difícil apontar somente um. Mas sou muito grato ao Paulo Ricardo, da base do Cruzeiro. Ele foi crucial para me ajudar a melhorar nos fundamentos, como passe e lançamentos. Ele conversou muito comigo. Se não fosse ele... Tive outros bons treinadores.

L!Net: Qual é a sua referência na posição?
O Luiz Gustavo. Ele é um dos meus ídolos na função. Tem boa marcação e sabe sair jogando. Assisti a muitos jogos dele pela Seleção e também no futebol alemão. É um grande jogador e me inspiro bastante nele.

L!Net: Você se parece fisicamente com o Luiz Gustavo um pouco também.
Pelo que vi na televisão, ele é mais forte que eu (risos). Mas é uma referência que tenho na minha posição.

L!Net: Algum clube procurou contar contigo?
O pessoal da diretoria comentou comigo que houve o interesse do Democrata, de Governador Valadares, mas acabou não fluindo a negociação. Eles procuraram saber a minha condição, mas a diretoria não quis me emprestar. Então, fui integrado ao elenco profissional e, desde então, não soube de nada.

L!Net: Como avalia o elenco do Cruzeiro na disputa da Libertadores?
Nosso time entra muito forte na competição. Temos um grupo unido, focado e estamos entre os favoritos. O Cruzeiro está preparado para chegar ao título, pelo elenco que tem, um dos melhores do Brasil.

L!Net: Pensa na possibilidade de ser inscrito no torneio na fase de mata-mata?
Sempre tenho que pensar positivo, é assim que levo as coisas. Mesmo com a forte concorrência no meio de campo, onde temos ótimos jogadores, tenho que pensar positivo. Nada impede que eu esteja entre os inscritos para a fase de mata-mata da Libertadores.

L!Net: Qual a importância de vencer o Mineiro depois de dois títulos consecutivos do rival?
Seria muito importante. Primeiro porque acabaríamos com essa situação de o rival ter vencido os últimos dois títulos. Depois porque é o meu primeiro ano como profissional do Cruzeiro. É sempre importante sair com um título na primeira temporada.

L!Net: O Cruzeiro é o atual campeão brasileiro. Está preparado para defender este título?
Estou pronto e bastante tranquilo. Pelo fato de termos vencido o último Campeonato Brasileiro, todos os nossos adversários virão com força máxima e babando para vencer a gente. Ganhamos sobrando no ano passado e precisamos mostrar força nesta temporada.

L!Net: Qual a importância da família para você ter chegado ao profissional?
A família é tudo na minha vida. Apenas Deus está acima deles. No meu tempo livre, estou sempre unido com as minhas irmãs, ao lado dos meus pais. Eles estão sempre comigo. Todos são muito importantes para o que sou hoje.