icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro e Francisco Abrão
28/04/2014
12:02

O número de finalizações ao gol adversário só diminui. Se a marcação melhora, o ataque se torna inoperante, representando a total falta de equilíbrio da equipe. As escalações não se repetem mais e a entrega de outros tempos também não se faz mais presente. O retrato podia simbolizar o time de 2013, ano em que o Santos perdeu seu principal ídolo e encerrou uma sequência de dois títulos por temporada que orgulhava o torcedor.

No entanto, essa é a imagem da equipe deste ano, aquela que foi considerada detentora do melhor futebol do país e colecionou goleadas, inclusive um 5 a 1 sobre o Corinthians, seu principal rival. Desde as finais do Paulistão, o time do técnico Oswaldo de Oliveira não conseguiu mais render o que se esperava, e já alcançou uma primeira marca negativa no Campeonato Brasileiro.

O Peixe é o único grande de São Paulo que não venceu no torneio nacional. Neste domingo, o Corinthians, que também havia empatado em sua estreia, conseguiu vencer o Flamengo no Pacaembu e fez com que o Santos se tornasse o único paulista sem nenhum resultado positivo nas duas primeiras rodadas.

– Nunca disse que o nosso time estava pronto por isso, porque são muitos meninos e eles estão em fase de afirmação. Nossos jogadores subiram recentemente. Para o Brasileiro, precisamos trabalhar mais – disse Oswaldo de Oliveira dias depois de perder o título do Paulistão.

A principal marca do time dirigido por Claudinei Oliveira no ano passado foi a irregularidade. Quando o time começava a engrenar e sonhar com um espaço no G4, perdia inesperadamente ou empatava em casa (como foi no jogo atrasado contra o Náutico, pior time do Brasileirão do ano passado), e se afastava das primeiras colocações do torneio.

O Peixe terminou em sétimo lugar, com quatro pontos a menos que o Botafogo, então dirigido por Oswaldo de Oliveira, que foi à Libertadores e caiu já na primeira fase. Com muitas mudanças, o Peixe ainda é uma incógnita em 2014.