icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/11/2013
18:18

Após intenso trabalho de montagem dos barcos Extreme 40, na Vila de Regata, em Florianópolis (SC), as oito equipes que disputam o Extreme Sailing Series realizaram na tarde desta terça-feira os primeiros treinos para a decisão do campeonato, o Ato 8, a partir de quinta-feira. O Extreme Sailing Series é um circuito mundial de regatas criado em 2007, que percorreu três continentes e sete cidades, entre os meses de março e novembro de 2013: Muscat (Omã), Singapura, Qingdao (China), Porto (Portugal), Cardiff (País de Gales - Reino Unido), Nice (França) e, por fim, na capital catarinense.

Um dos primeiros barcos a ganhar forma e ficar pronto para navegar foi o GAC Pindar, da equipe neozelandesa, sexto colocado na classificação geral.

- Não víamos a hora de fazer os últimos reparos e poder, finalmente, partir para o reconhecimento da raia. Nunca velejamos aqui, esse treino de adaptação será fundamental - avaliou o tripulante britânico do GAC Pindar, Shaun Mason.

Em cada etapa da competição, uma das equipes é representada pelo país-sede. Em Florianópolis, será o Team Brazil Mapfre, comandado pelo medalhista olímpico Lars Grael. Nesta semana, o time passou a treinar com sua formação completa, com os reforços do timoneiro Clínio de Freitas e dos tripulantes Cláudia Swan, a Cacau, e Bruno di Bernardi, que disputaram o Sul-Americano de Nacra 17 no final de semana, em Porto Alegre (RS), com vitória do casal Clínio e Cacau.

O Ato 8 da Extreme Sailing Series definirá o campeão de 2013. Os cinco primeiros colocados na classificação geral, após 164 regatas disputadas, chegam à Florianópolis em condições de brigar pelo título da temporada. Apenas o líder, The Wave Muscat, de Omã, depende do desempenho dos próprios tripulantes para ficar com o troféu. O barco comandado pelo britânico Leigh McMillan garante o terceiro título, repetindo 2010 e 2012, se terminar a etapa brasileira em segundo lugar, independentemente dos outros resultados. McMillan pode se tornar o primeiro comandante bicampeão da competição.

O rival direto na disputa por um dos troféus mais cobiçados da vela oceânica é o Alinghi (SUI), com dois pontos a menos do que o líder. Como Florianópolis oferecerá pontuação dobrada, devido ao peso da decisão, outras três equipes têm chances matemáticas de chegar ao título: Red Bull Sailing Team (AUT), SAP Extreme Sailing Team (DEN) e Realteam (SUI).


Classificação geral:

1 - The Wave, Muscat (Omã): 56 pontos
2 - Alinghi (SUI): 54 pontos
3 - Red Bull Sailing Team (AUT): 45 pontos
4 - SAP Extreme Sailing Team (DEN): 41 pontos
5 - Realteam (SUI): 35 pontos
6 - GAC Pindar (NZL): 30 pontos
7 - Barco do País (tripulação convidada): 26 pontos
8 - Team Korea (KOR): 16 pontos