icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/11/2014
18:32

Não foi o fim que os jogadores e os mais de 56 mil torcedores presentes no Maracanã esperavam. O empate em 1 a 1 com o Icasa, no Maracanã, garantiu o acesso do Vasco para a Série A em 2015, mas não convenceu os torcedores de que muita coisa tem que melhorar no clube. Após o apito final do árbitro, só o uruguaio Martin Silva e o argentino Guiñazú tiveram seus nomes gritados pelos torcedores. O jovem atacante Thalles foi um dos mais vaiados e perseguidos.

– Ninguém esperava esse empate. O Icasa achou um gol num chute de longe, após um erro nosso na saída de bola. Mas o importante é que acabou. Agora o clube tem um novo ano pela frente e tem que pensar nisso. O Vasco vai ter um novo presidente já nos próximos dias, consequentemente um novo time – afirmou Kléber, autor do gol vascaíno no jogo.



O técnico Joel Santana preferiu não comentar as vaias do torcedor e ressaltou que o mais importante era garantir logo o acesso nesta partida, evitando um confronto direto com o Avaí, fora de casa, na última rodada. O treinador também comentou a maneira como a equipe atuou e lamentou a queda de produção do time na segunda etapa:

– O importante era subir. Jogamos o segundo tempo muito mal, segundo tempo tinha que ter responsabilidade. A gente não queria sair mais para o jogo e perder. Objetivo era classificar, dentro de qualquer circunstância. Não adianta jogar bem, aberto, e perder o jogo. A missão está cumprida, agora compete ao Vasco a fazer melhor time.