icons.title signature.placeholder Michel Castellar
25/02/2015
17:13

Apesar dos elogios, o recado da Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico Internacional para os Jogos Rio-2016 foi o de que a construção e reforma de três instalações esportivas requerem atenção: o velódromo, o campo de golfe e o centro de hispimo. Após três dias de avaliações, a presidente da comissão Nawal El Moutawakel ainda destacou o progresso realizado pela capital fluminense na organização das competições.

- O Rio está entrando no período mais intenso, onde tem de entregar 21 eventos-testes em 2015. E o campo de golfe, o velódromo e o hipismo tem uma linha agressiva para estar pronta a tempo. Temos de manter a pressão e manter o cronograma, que é apertado - salientou Nawal.

Outro ponto de atenção para o COI é na questão de acomodações mas Nawal disse estar otimista e força-tarefa está debruçada sobre o assunto. O Rio precisa fechar a conta de oferecer 40 mil quartos e, até o momento, atingiu 36 mil.

O presidente do Comitê Organizador dos Jogos Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, contou estar próximo de acertar um patrocínio que poderá render mais 18 mil quartos para os Jogos. Com essa oferta, o número exigido seria ultrapassado.

Sobre o encontro com a presidente Dilma Rousseff, na terça-feira, a presidente da Comissão de Coordenação destacou o empenho do governo brasileiro. Nawal aproveitou para elogiar o entrosamento mantido pelos entes públicos.

Em relação à meta de ter tratado até os Jogos 80% do esgoto despejado na Baía de Guanabara, que o governo do estado já admitiu a possibilidade não alcançá-la, Nawal demonstrou confiança. Disse ter recebido a garantia de que o objetivo ainda é possível ser alcançado.

- Com relação a baía, no tratamento de esgoto, posso confirmar que as apresentações foram feitas e confiamos no relatório. Todas as obras estão sendo feitas para os atletas competirem de maneira segura E a promessa é a de tratar 80% será cumprida - frisou Nawal.