icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/11/2014
21:53

As eleições da Fifa para a escolha das sedes da Copa do Mundo de 2018 (Rússia) e 2022 (Qatar) foram realizadas em 2010 sob a mira do FBI, conforme publicou o diário "Daily News", de Nova Iorque, nesta terça-feira.

Na ocasião, o órgão de inteligência norte-americana contou com um dirigente "arrependido" para checar a possibilidade de fraude no pleito. Trata-se de Chuck Blazer, ex-secretário-geral da Concacaf e ex-membro do Comitê Executivo da entidade que comanda o futebol mundial.

Blazer levou um microfone escondido num chaveiro durante as sessões que definiram as sedes.

Com as gravações, o FBI determinará se houve ou não corrupção.