icons.title signature.placeholder Daniel Guimarães e João Matheus Ferreira
05/11/2014
13:56

Uma reunião na manhã desta quarta-feira entre os representantes de cada chapa inscrita para a eleição presidencial do Vasco, terça-feira que vem, terminou com algumas novidades sobre o pleito. A principal delas foi a transmissão online do processo, proposta pelo candidato Eduardo Nery, da chapa "Vasco Mais que um Gigante" e aceita por Abílio Borges, que hoje acumula os cargos de presidente da Assembleia Geral e do Conselho Deliberativo. O objetivo é evitar fraude.

Segundo o LANCE!Net apurou, alguns grupos foram contra a instalação de câmeras para acompanhar o sócio desde a entrada em São Januário até a quadra onde ficam as urnas. A apuração também seria filmada e transmitida em tempo real. Foi questionado o custo, mas Eduardo Nery se comprometeu a depositar o dinheiro, mas deixando toda a parte técnica e operacional ao Cruz-Maltino.

Um outro ponto discutido foi em relação à segurança. Ficou acordado que o pleito será acompanhado pela Polícia Militar, Polícia Civil, seguranças contratados pelo clube e o Ministério Público será acionado. Tudo para dar transparência e evitar ameaças para beneficiar algum candidato.

O grupo de Eurico Miranda, da chapa "Volta Vasco, Volta Eurico" propôs que as arquibancadas do ginásio fossem abertas para o público, mas todas as chapas negaram até em razão de segurança. A chapa do ex-presidente, juntamente com Roberto Montero, da "Identidade Vasco" também propôs que os candidatos fizessem um compromisso de não adiamento do pleito, mas ninguém quis assinar.

As cores de cada um também ficaram decididas. Eduardo Nery será verde, Eurico Miranda será azul, Julio Brant será amarelo e Roberto Monteiro branco. O outro candidato, Marcio Santos, da "Vanguarda Vascaína", sequer apareceu na reunião, que foi presidida pela Junta Eleitoral, composta por Abílio Borges, Sérgio Murilo e Roberto Monteiro.