icons.title signature.placeholder Michel Castellar
20/06/2014
08:00

Duas rodadas da Copa bastaram para o atacante Drogba passar de favorito a ser um dos destaques da competição à condição de reserva da Costa do Marfim. Contra o Japão, na estreia do grupo C, ele reclamou por não estar entre os titulares mas, na quinta-feira, quando novamente permaneceu no banco, após a derrota para a Colômbia, por 2 a 1, o atleta não fugiu da polêmica.

- Não me importo em começar a partida no banco. O importante é ajudar o time a vencer. Começar jogando ou não, nem tem importância. O principal é ajudar o time. Estamos unidos - afirmou Drogba, que entrou aos 15 minutos da etapa final no confronto contra os colombianos.

A mudança no discurso de Drogba ocorre após sucessivas declarações do técnico da Costa do Marfim, Sabri Lamouchi, de que o atacante era mais um dentro do grupo. Na tarde de ontem, o treinador voltou à mostrar que as pressões para escalar Drogba não terão efeito.

Lamouchi, ao ser indagado sobre o fato de ter deixado Drogba novamente no banco de reservas, respondeu que não tem fixação pelo atacante. Em seguida, disse achar desnecessário falar sobre jogadores individualmente e optou por exaltar o grupo.

 Mas tanto Lamouchi quanto Drogba concordaram em pelo menos um assunto: a classificação da Costa do Marfim para as oitavas de final. Ambos destacaram que, apesar da derrota, avançar para a próxima etapa da Copa do Mundo ainda é possível.

- Estou confiante, acho que temos tudo para fazermos uma grande partida contra a Grécia e conquistarmos a classificação - frisou Drogba.

Após duas rodadas, o grupo C é liderado pela Colômbia que totalizou seis pontos e assegurou uma das duas vagas para as oitavas de final. Em segundo lugar está a Costa Rica, com três pontos, seguido por Japão e Grécia, ambos com um ponto.

O último jogo da Costa do Marfim nesta primeira fase da Copa do Mundo será no dia 24, às 17 horas, no Castelão, em Fortaleza.