icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
27/03/2014
12:02

Observador da Seleção Brasileira para a Copa-2014, o coordenador das categorias de base da CBF e técnico da sub-20, Alexandre Gallo, já concluiu o dossiê sobre os adversários do Brasil na primeira fase do Mundial. Pensando na estreia, dia 12 de junho, em São Paulo, contra a Croácia, o material colhido foi vasto.

- Tivemos duas reuniões na CBF, temos todo o material preparado em relação à Croácia. Eles têm mais dois jogos, mas não são data Fifa. Praticamente não teremos ganho. Temos um material de vários gols: os últimos 30 feitos e 16 sofridos. São muitos jogos. Ter visto in loco também nos dá um direcionamento - afirmou Gallo, que esteve na Europa para ver o duelo entre croatas e suíços, no dia 5 de março.

México e Camarões também têm sido alvo da observação:

- São todos adversários que vão nos dar problema. Vamos ter que manter o mesmo nível de atenção da Copa das Confederações. São escolas muito diferentes.

Apesar do auxílio a Felipão para a Copa, Gallo, por enquanto, não quer passar disso no trabalho com a Seleção principal. O presidente da CBF, José Maria Marin, chegou a afirmar uma vez que Gallo seria o "herdeiro" de Scolari na função. Mas isso não é o que está na cabeça do chefe da base brasileira no momento.

- Não posso pensar em Seleção principal com um futuro olímpico tão bem definido. e tendo o sonho de participar de uma Olimpíada. Vou focar nos próximos dois anos. Temos um grupo de 40 atletas muito forte - garantiu.