icons.title signature.placeholder Caio Carrieri e Thiago Ferri
26/12/2013
08:01

Há exatos dois meses, o empate em 0 a 0 com o São Caetano garantiu o acesso antecipado do Palmeiras à Primeira Divisão. O tempo a mais gerou expectativa para que se adiantassem os planos do centenário. Mas, até agora, o clube tem mostrado dificuldades resolver as pendências antes de 2014.

Apesar de diversas sondagens e consultas, o Verdão tem apenas um reforço certo: o atacante Rodolfo, de 20 anos, ex-Rio Claro. Embora já tenha dado entrevistas e posado com a camisa alviverde, ele não foi anunciado ainda pela diretoria, que tenta antes apresentar um nome de peso para o ano que vem.

Até agora, porém, Marquinhos Gabriel, meia ex-Bahia, e William Matheus, lateral-esquerdo do Goiás, estão mais próximos. O atacante Anselmo Ramon, encostado no Cruzeiro, é outro que interessa.

Em negociações com Bruno César, o clube descartou Elano e sonha, ainda que de forma distante, com Ronaldinho Gaúcho – José Carlos Brunoro diz que observa o meia do Atlético-MG. Com o projeto de evitar gastos desmedidos, a diretoria repete o discurso de que “não será refém do centenário”.

No elenco, 13 jogadores estão em fim de contrato e há dificuldades para renovar com os cinco atletas que Gilson Kleina pediu a permanência (Leandro, Vilson, Charles, Marcelo Oliveira e Márcio Araújo).

Fora de campo, o imbróglio em relação ao Allianz Parque ainda não foi encerrado. A disputa pelo número de cadeiras do estádio está a cargo de mediadores entre Palmeiras e WTorre, que se acertaram ainda. Com isto, há a chance de a decisão ocorrer na corte arbitral, atrasando mais o uso do estádio.

Em meio ao que considera um processo de transformação, Brunoro quer acalmar a torcida. O diretor-executivo do clube, que sofre para conseguir implantar contratos de produtividades, espera frutos a longo prazo.

- Tudo passou por uma grande transformação em 2013 no Palmeiras. Os resultados virão mais a longo prazo, talvez as pessoas entendam isto mais para frente. Quero deixar o torcedor palmeirense tranquilo, estamos tentando fazer o melhor para o clube, mas também dentro de uma mentalidade nova. Não é mais o “vamos trazer jogador, dane-se a parte financeira”, há respeito pela entidade - disse Brunoro à "Rádio Bandeirantes".

A torcida, talvez, não tenha paciência para esperar.

As diversas incertezas

Allianz Parque
O Palmeiras está rachado com a WTorre. A relação é tão desgastada a ponto de as partes terem recorrido ao processo de mediação para resolver o impasse – o principal ponto é a divisão de cadeiras. Com clube e construtora irredutíveis, a discórdia deve parar na arbitragem. Atrasada, a obra só deve ficar pronta no segundo semestre de 2014 – provavelmente em outubro.

Patrocínio
Conselheiros e torcida questionam a inexistência de patrocínio master no futebol há mais de sete meses – desde a eliminação na Libertadores, em que a Kia Motors estampou a sua marca na camisa pela última vez. O marketing costura um acordo com a Caixa Econômica Federal, mas o clube precisa quitar as suas dívidas fiscais para ter as Certidões Negativas de Débito (CNDs).

Reforços
Gilson Kleina fez os pedidos à cúpula palmeirense há mais de um mês. No entanto, até agora apenas o atacante Rodolfo (foto), de 20 anos que estava no Rio Claro, foi contratado. O Verdão não confirmou a chegada do jovem jogador porque não quer colocar nele o rótulo de primeiro reforço do centenário. Espera fechar com outra peça mais renomada para anunciar.

Renovações
Até o momento o Alviverde não conseguiu prorrogar o contrato de nenhum atleta com que a comissão técnica espera contar para a próxima temporada. São eles: Leandro (foto), Charles, Marcelo Oliveira, Márcio Araújo e Vilson. Os dois últimos, além de Leandro, são os casos mais complicados. Foram liberados Ronny, Rondinelly, Léo Gago e Fernandinho.