icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
28/11/2013
07:10

A entrevista coletiva de Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, e do técnico Gilson Kleina começou com duas horas de atraso na quarta-feira por conta de divergências entre as partes sobre o novo contrato do treinador, válido até o fim de 2014. Agendada para as 15h, a conferência de imprensa teve início às 17h.

Segundo o LANCE!Net apurou com pessoas que estavam presentes na sala em que o novo documento foi firmado, a discordância se deu em torno da interpretação de uma cláusula do documento.

O advogado do treinador bateu o pé sobre a versão do texto que julgava ser a correta, e a papelada teve de ser refeita e reimpressa para que houvesse finalmente a assinatura.

Paulo Nobre se irritou com a demora para o desfecho da parte burocrática, e seu estafe teve de se mexer nos corredores da Academia.

– Queria me desculpar com vocês (jornalistas), porque ficou tudo certo entre nós ontem (terça), mas hoje os advogados não nos liberaram até assinarmos o contrato – declarou o mandatário, antes da audiência ser aberta para perguntas.

Anderson Suave, empresário de Kleina que não compareceu ao CT na quarta por outros compromissos, amenizou o problema.

– Foi coisa normal de advogados, que discutiram os termos do contrato – disse ao LANCE!Net.

Neste ano, um erro de digitação impediu que o Verdão renovasse o vínculo do lateral-direito Luis Felipe, que está de saída do clube.